O futuro de Oswaldo na mão dos "amigos"

Por mais que a diretoria do Corinthians orgulhe-se por não demitir treinador no vestiário, é dado como certo no Parque São Jorge que Oswaldo de Oliveira não resistirá até o jogo contra o Guarani, domingo, pelo Campeonato Brasileiro, se a equipe perder amanhã para o Vitória. Trata-se da primeira partida das quartas-de-final da Copa do Brasil. E como é no Pacaembu, a vitória não é tudo. O ideal seria abrir boa diferença de gol para jogar tranqüilo em Salvador. Na teoria, tudo certo e simples. Porém, quando a bola rola o que não faltam são motivos para Oswaldo - e por conseqüência todos os corintianos - ficarem preocupados logo mais. O adversário está embalado. Além de fazer boa campanha na Copa do Brasil, é vice-líder do Brasileiro, competição na qual tem o melhor ataque, com 14 gols, e o melhor saldo, 10. Agora o Corinthians. Não bastasse a má fase que já dura um ano e, pior, não dá indicações de que terminará tão cedo, o time conquistou a vaga nas quartas-de-final após ser beneficiado pelo juiz na partida contra o Fortaleza. No Brasileiro, ocupa a vergonhosa 18.ª posição. Para completar, a defesa é a mais vazada (já sofreu 14 gols) e ainda jogará desfalcada de Anderson, expulso no último jogo. A dupla de zagueiros será Váldson e o jovem Betão. Birra ajuda? - Mas o que preocupa mesmo os corintianos é a presença de Edílson. O talento do atacante baiano é reconhecido por todos. Afinal, o Parque São Jorge já vibrou bastante com suas jogadas. A questão é saber até que ponto a motivação do jogador pode crescer por enfrentar o clube do qual saiu de forma pouco amigável. Aliás, o mesmo aconteceu no Flamengo. Coincidência ou não, os cariocas foram humilhados no último fim de semana: 5 a 1. Pergunte, então, o que Edílson acha da crise corintiana. Se depender de sua resposta, Oswaldo viverá momentos tensos esta quinta à noite. "Vou entrar com força total e se tiver de aumentar a crise do Corinthians, esse é o papel nosso", afirmou. Vampeta, outro que deixou o alvinegro recentemente, está machucado e não vai jogar. Mesmo assim, fez questão de vir a São Paulo. Por quê? "Para dar uma força e porque tenho de receber o que está retido por lá", explicou, referindo-se à dívida do clube. O Vitória também tem um desfalque, O artilheiro Obina cumpre suspensão e Leonardo faz dupla com Edílson. Mudança - Toda a situação fez Oswaldo optar por esquema ofensivo. Piá foi afastado do time por deficiência técnica. Em seu lugar será mantido Jô, que o substituiu no empate por 2 a 2 com o Atlético-MG e fará dupla com Marcelo Ramos na frente. O inoperante Gil será recuado para atuar na armação das jogadas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.