O homem que narrou o gol 1000 de Pelé

Joseval Peixoto era o principal narrador esportivo da Rádio Jovem Pan em 1969. Ele perseguiu o gol 1000 de Pelé por meses. Em qualquer lugar em que o Santos jogasse, ele era escalado para a narração. Até que o dia chegou. Aqui, Joseval Peixoto conta como foi narrar o gol 1000 de Pelé. Agência Estado - Como surgiu a história do gol mil?Joseval Peixoto ? Foi o grande jornalista Thomaz Mazzoni, de A Gazeta Esportiva, que falou sobre essa possibilidade. Nem o Pelé e nem os dirigentes do futebol brasileiro sabiam disso. AE - Como assim? Joseval - A Jovem Pan decidiu que qualquer jogo do Santos seria o jogo principal. Poderiam jogar o Santos contra um timinho qualquer e haver no mesmo dia um clássico que nós iríamos narrar o Santos. AE - E quando chegou o dia, você preparou um discurso para depois do gol? Joseval - Não, de jeito nenhum. Fiz uma narração bonita, muito bonita, dos momentos que precederam o gol. Falei assim: Pelé pega a bola, Pelé recua, Pelé ajeita o calção, Pelé olha para o goleiro, corre Pelé e gol. Depois disso, foi a vez do grande repórter Geraldo Blota. Ele entrou dentro do gol junto com a bola e com Pelé. E foi no nosso microfone que Pelé pediu pelas crianças do Brasil. Eu preferi o jornalismo ao show. Não fiz discurso nenhum. AE - O gol mil foi a contribuição mais importante de Pelé ao Brasil e ao futebol brasileiro? Joseval - Não. O maior presente de Pelé ao Brasil foi vencer um Mundial aos 17 anos. Um menino negro vencendo um Mundial. Isso foi um soco nas teorias arianas que dominavam grande parte da sociedade brasileira naquela época. Como o Brasil havia perdido em 1950 e 1954, havia brasileiros dizendo que Hitler não estava tão errado assim em defender a raça pura. Pelé acabou com isso.

Agencia Estado,

12 de janeiro de 2004 | 09h44

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.