O inseguro Parma enfrenta a Inter

O Parma vive situação constrangedora no duelo com a Internazionale, neste sábado, na abertura da 16ª rodada do Campeonato Italiano. Nos bastidores, se discute a troca de comando, a saída de jogadores, os débitos astronômicos. Dentro de campo, o time tentará mostrar, para os torcedores que forem ao Estádio Tardini, que não será afetado pelos desmandos de donos e cartolas. O Parma tem 27 pontos, está em 6º lugar, e no momento briga por vaga para a Copa Uefa. A Inter, com 31, ocupa a 4ª colocação. "Os reforços, agora, ficam por conta do Governo", ironizou Cesare Prandelli, técnico do Parma e revoltado com a ordem que foi dada ao clube de desfazer-se de alguns jogadores para abater déficit. O treinador prevê dificuldades para conduzir a equipe com nível razoável de eficiência até o fim da temporada. A torcida também teme pelo futuro do clube, que tem 91 anos, mas ganhou projeção há pouco mais de uma década, quando foi comprado pela família Tanzi. Desde 1990, o Parma conquistou duas vezes a Copa Uefa (95 e 99), ganhou a Copa Itália em três ocasiões (99, 99 e 2002) e ainda levou uma Supercopa da Itália e uma Supercopa Européia - ambas em 1993. A Inter, de certa forma, deu uma ajuda ao rival deste sábado. A diretoria do clube milanês tinha a metade do passe de Adriano,mas confirmou a compra dos 50% restantes por US$ 25 milhões. O reforço, no entanto, deve ser utilizado só a partir da temporada de 2004-05. Adriano, que se recupera de contusão, não participa do jogo. A outra partida que abre a rodada será em Verona, onde o Chievo (21 pontos) recebe a Udinese (24).

Agencia Estado,

09 de janeiro de 2004 | 20h27

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.