Alexandre Loureiro / Reuters
Alexandre Loureiro / Reuters

'O Internacional foi surrupiado', diz vice de futebol do Inter

Colorados criticam expulsão do lateral Rodinei em lance no começo do segundo tempo

Marcio Dolzan / RIO, O Estado de S.Paulo

21 de fevereiro de 2021 | 20h15

A derrota de virada para o Flamengo tem um culpado para a diretoria do Internacional: o árbitro Raphael Claus, que expulsou o lateral Rodinei no início do segundo tempo. O cartão vermelho foi dado após Claus ser acionado pelo VAR para revisar um lance em que o jogador do Inter acerta o tornozelo de Filipe Luís na intermediária.

"Quem estava aqui no estádio viu uma das maiores vergonhas dos últimos tempos no futebol. O Internacional foi surrupiado. O árbitro mudou o critério dos últimos sete ou oitos jogos. É uma vergonha. Até os jogadores do Flamengo, e eu vou nomeá-los, o Felipe Luís, disseram para nossos jogadores que não era para cartão vermelho, no máximo amarelo, que não foi intencional", afirmou após o jogo o vice de futebol do clube gaúcho, João Patrício Herrmann.

"Amanhã (segunda) nós vamos  com certeza à CBF ouvir esse VAR, assim como vamos ficar atentos ainda mais, porque nós tivemos um sinal muito grande no jogo (diante) do Vasco da Gama. O presidente do clube chamou a atenção do público em geral, e novamente hoje nós fomos prejudicados de uma forma absurda", continuou Herrmann, fazendo referência a um pênalti marcado contra o Inter na rodada anterior, que custou a suspensão do zagueiro Victor Cuesta para esse jogo com o Flamengo.

Para o dirigente, o time gaúcho fez uma boa partida no Maracanã. "Dentro de campo acredito que nossos jogadores foram guerreiros. Nosso time foi muito corajoso. Enfrentou o time aqui com, talvez, a maior torcida do Brasil, eu não sei", declarou Herrmann.

O dirigente também reclamou das condições diferentes que as duas diretorias tiveram no jogo. Mandante, o Flamengo colocou todo seu staff em área atrás do reservado do Flamengo, próximo à cabine do VAR. Já a delegação gaúcha teve que ficar no segundo andar, próximo a um dos escanteios.

"(O Inter) foi guerreiro de ver o desespero dos dirigentes do Flamengo, praticamente invadindo o campo, o desespero do treinador, o desespero da comissão técnica do Flamengo, no gol que não foi dado tentando manipular o VAR. É uma vergonha. O Flamengo é um grande clube, é uma grande agremiação, e não precisa desse tipo de atitude", disparou Herrmann. "O presidente Rodolfo Landim mentiu pra mim (sobre o local onde ficariam as diretorias. Esse é o Flamengo hoje, o todo poderoso."

Apesar disso, o vice de futebol colorado ainda acredita no título brasileiro, que não é conquistado pelo Internacional desde 1979. "Eles (Flamengo) até podem tentar ser campeões, mas vai ser muito difícil. Acredito muito nesse elenco, o campeonato não acabou. Vamos acreditar. O Homem lá de cima está olhando por nós. Não vamos desistir. Temos convicção que o título está em aberto. O importante é que os atletas façam sua parte dentro de campo", completou o dirigente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.