Marcos de Paula/Estadão
Marcos de Paula/Estadão

'O Maracanã é um bem público', afirma concessionária

Complexo Maracanã Entretenimento S.A divulga nota reafirmando que estádio não foi 'privatizado'

O Estado de S. Paulo

26 de julho de 2013 | 10h57

SÃO PAULO - A concessão do Maracanã à iniciativa privada tem provocado protestos nas ruas e nas redes sociais. Muitos afirmam que o estádio, construído pelo poder público para a Copa de 1950 e reformado ao custo de R$ 1,192 bilhão para a Copa de 2014, está sendo "privatizado".

A concessionária Complexo Maracanã Entretenimento S.A - controlada pela Odebrecht Participações e Investimento e composta por IMX e AEG -, empresa responsável pela administração do estádio, enviou nota à imprensa em que esclarece que o acordo prevê apenas a administração do Maracanã pelo período de 35 anos, com pagamento anual ao Governo do Estado e obrigações de investimentos no local.

"Pelo contrato de concessão, [a concessionária] tem a obrigação de pagar em torno de R$ 5,5 milhões ao ano ao Governo do Estado do Rio de Janeiro e fazer investimentos de R$ 594 milhões, necessários para transformar o complexo num moderno espaço de entretenimento com museu, restaurantes, lojas e espaços de convivência até a devolução ao Governo do Estado do Rio ao final da concessão" informa. "Portanto, o Maracanã é um bem público do Governo do Estado o Rio de Janeiro."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.