Hélvio Romero/Estadão
Hélvio Romero/Estadão
Imagem Mauro Cezar Pereira
Colunista
Mauro Cezar Pereira
Conteúdo Exclusivo para Assinante

O que espera pelo São Paulo

Conheça o Talleres, equipe argentina que o tricolor vai enfrentar na pré-Libertadores

Mauro Cezar Pereira, O Estado de S.Paulo

21 Janeiro 2019 | 04h30

No dia 6 de fevereiro, o São Paulo terá sua primeira batalha tentando chegar à fase de grupos da Copa Libertadores. O adversário será o Talleres, tradicional clube que passou muitos anos fora da Primeira Divisão argentina, se reestruturou e tem como grande meta triunfar nesse retorno a uma competição internacional após 19 anos.

A equipe de Córdoba esteve na Federal A, a Terceira Divisão, de 2009 até 2013. Depois foram mais duas temporadas na B Nacional, a segundona do país, até alcançar o primeiro nível como o único campeão invicto no acesso à elite. Foi em 2016, com 14 vitórias e sete empates. Menos de três anos depois, tem a chance de retornar à Libertadores.

Único time da cidade a disputar o principal certame sul-americano, também é o representante cordobês que possui título internacional, a Copa Conmebol, ganha em 1999 na final com o CSA. Com mais de 1,3 milhão de habitantes, Córdoba fica a mais de 900 quilômetros de Buenos Aires, e abriga, ainda, Instituto, Racing e Belgrano, que faz com o Talleres o clássico de maior rivalidade.

“Somos um clube organizado e que trabalha dentro de suas possibilidades, com coerência na gestão. Se não for assim, é impossível administrar. Destinamos 48% do orçamento às divisões de base e à infraestrutura, para que em quatro a cinco anos o Talleres seja referência em revelação de jogadores”, disse à coluna o presidente Andrés Fassi.

Quando entrar em campo para duelar com o São Paulo, o Talleres já terá feito quatro partidas em 2019. No dia 11 venceu o San Martín de Tucumán, pelo torneio de verão de Salta, onde realizou sua preparação. Nesta segunda-feira terá o clássico com o Belgrano, domingo volta ao Campeonato Nacional visitando o Independiente e em 1.º de fevereiro receberá o Banfield, novamente pela Superliga Argentina.

“La T”, como é conhecido, começou sua escalada a partir da Terceira Divisão quando Fassi chegou à presidência. Conseguiu os dois acessos com o técnico Frank Darío Kudelka, que em 2018 foi para a Universidad de Chile. Seu substituto, Juan Pablo Vojvoda, estava no Defensa y Justicia, algoz do São Paulo na Copa Sul-americana 2017; e vem fazendo experiencias no 4-3-3 com variações para o 3-4-3.

Dispensado da base do rival, Belgrano, o goleiro Guido Herrera foi recentemente convocado para a seleção argentina. Até a paralisação de final de ano do campeonato, Andrés Cubas, ex-Boca Juniors, era o destaque do meio-campo, onde ainda se destaca Pablo Guiñazú. Aos 40 anos, “El Cholo” fez o primeiro gol do time em 2019, em belo arremate de fora da área ante o San Martín de Tucumán.

Com passagens pela seleção colombiana, o centroavante Dayro Moreno foi contratado ao Atlético Nacional de Medellín e é o principal reforço. Pelo lado esquerdo, Lionel Rivas é a novidade. Tem 19 anos e acaba de ser emprestado pelo Rosario Central de Edgardo Bauza. Sebastián Palacios, 26 anos, cedido pelo Pachuca, é outra alternativa de ataque com a qual Vojvoda por contar.

O técnico não terá Facundo Medina, zagueiro de 19 anos contratado ao River Plate, que está na seleção sub-20 que disputa torneio no Chile, mas provavelmente ficará à disposição dia 13, no Morumbi. Nahuel Bustos, 20 anos, goleador da equipe com cinco tentos, foi emprestado ao Pachuca na troca por Palacios.

“Para o Talleres é uma honra jogar esta fase da Libertadores. Não faz muito tempo e estávamos na Terceira Divisão. E diante de uma das maiores equipes da América do Sul, que é o São Paulo. Para nós é um orgulho, mas temos muita expectativa”, resume o presidente. Não esperem mais cordialidade quando a bola rolar. 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.