Divulgação
Divulgação

'O Santos comprometeu a receita de 2015', diz Modesto Roma Júnior

Candidato da Chapa 4 (Santos Gigante) afirma que o próximo presidente terá sérios problemas para fechas as contas do clube

O Estado de S.Paulo

05 de dezembro de 2014 | 23h30

Modesto Roma Júnior, da Chapa 4 (Santos Gigante), tem o apoio do ex-presidente Marcelo Teixeira. Sua chapa é a única de oposição. Modestinho, como é conhecido, por ser filho do ex-presidente Modesto Roma, critica a negociação de Neymar e é duro com a gestão Laor/Odílio. "O Santos comprometeu a receita de 2015. Quem assumir não vai ter isso", afirmou. Abaixo, a entrevista. 

Como o senhor analisa, à luz dos documentos já divulgados, a venda do Neymar ao Barcelona? O Santos foi prejudicado?

Com certeza. Precisamos saber se foi prejudicado pelo Barcelona, pelo Neymar ou pela própria diretoria do Santos. Precisamos descobrir. Temos de aguardar para ver, mas foi um péssimo negócio. Vamos analisar o contrato antes para tomar alguma decisão. E vamos tomar as providências necessárias. Mesmo que não haja dolo, há uma incompetência de negociação com certeza. Não dá para fazer uma venda dessas e o Santos terminar com o valor que ficou. 

Qual foi o maior erro da atual gestão?

Há cinco anos, eu dizia que o Luis Álvaro e o Odílio Rodrigues eram pessoas que nasceram Santos e que vão morrer Santos, mas que nunca tinham vivido o Santos. Está aí a prova disso. Eles não tinham experiência e erraram por não saber administrar um clube de futebol. Administração de clube de futebol requer pessoas que conheçam futebol. Essa é a diferença. vamos trabalhar com pessoas que sabem como o Santos tem de ser gerido. Nós não vamos defender o interesse de ninguém que não seja o Santos Futebol Clube. Isso que é preciso para um clube crescer e se desenvolver. 

O que fazer com Leandro Damião, que custou uma fortuna ao clube e vive uma fase ruim?

O Leandro Damião está carregando esse peso enorme nas costas. Mas ele não tem culpa de ter custado tudo isso e nem de ganhar o salário que ganha. Acho que ganha um salário excessivo. Acho que foi mal comprado. Foi um negócio feito com uma inexperiência muito grande. Se vendemos o Neymar por 17 milhões de euros, como pagar 15 milhões no Leandro Damião? O Santos tem de ver o contrato e tentar, analisando tudo o que foi feito, recuperar esse investimento. Não crucificando o Leandro Damião. Ele merece o respeito da comunidade santista.


A situação financeira do clube preocupa?

O Santos comprometeu a receita de 2015. Quem assumir não vai ter isso. Vamos ter um grande problema para fechar as contas, mas teremos uma equipe de renegociação de dívidas e o marketing gerar novas receitas. O Santos cometeu alguns erros de marketing na atual gestão. O maior deles foi levar muito ao alto a imagem do Neymar e esquecer a imagem do clube. Eles trabalhavam exclusivamente pelo Neymar. Temos de trabalhar para recolocar a imagem do Santos no mercado. Não podemos ter soberba. Temos de negociar de acordo com que o mercado negocia, sem dizer que queremos mais do que vale para o mercado. 

Por que a Vila Belmiro recebe pouco público? É possível mudar esse quadro?

Muita gente me pergunta como levar de volta o torcedor ao estádio. Fazendo com que o time tenha identidade com o torcedor, um futebol com a alma do torcedor.

O Santos conseguiria ter uma arena moderna, a exemplo do Corinthians e do Palmeiras?

Se surgir uma proposta, um projeto de uma nova arena, não vamos deixar passar. É uma questão de estudar as propostas. Temos de analisar tudo com seriedade. A Vila vinha sendo reformada na gestão do Marcelo Teixeira. Eu estava diretamente envolvido, visando dar maior conforto ao torcedor. Hoje querem derrubar os camarotes. Não dá, isso é promessa vazia de campanha. Antes da reforma precisamos colocar a casa em ordem e depois vamos fazer. Os vestiários dos visitantes, por exemplo, é horroroso. tem de passar por uma reforma urgente. O visitante não tem uma zona mista, a imprensa não tem espaço. Não são obras caras, mas são obra que tem de ser feitas. Temos de colocar a casa em ordem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.