Ricardo Saibun/Divulgação
Ricardo Saibun/Divulgação

'O Santos irá ao Sul para vencer', diz lateral Emerson

Jovem jogador voltará a ocupar a vaga de Mena, que está na seleção chilena

AE, Agência Estado

09 de setembro de 2013 | 12h54

SANTOS - Depois de ajudar o Santos a vencer o Goiás por 1 a 0, no último sábado, na Vila Belmiro, o jovem lateral Emerson, de 19 anos, terá nova chance como titular na ala esquerda nesta terça-feira, quando a equipe dirigida por Claudinei Oliveira pegará o Internacional, às 19h30, em Novo Hamburgo (RS), em duelo atrasado da décima rodada deste Campeonato Brasileiro.

O atleta voltará a ocupar o espaço aberto por Mena, que está servindo a seleção chilena, e exibiu confiança em um novo triunfo santista na competição nacional. "É um jogo complicado, pois o Inter é uma grande equipe. Eles vêm embalados, com vitórias sobre Corinthians e Ponte Preta. Mas estamos bem postados, está difícil fazer gol na gente. Vamos para buscar o melhor resultado mesmo", ressaltou o jogador, em entrevista coletiva no CT Rei Pelé, na qual depois assegurou: "Não iremos para buscar um empate, mas sim para vencer. Sabemos da dificuldade e estamos confiantes na vitória".

Emerson também enfatizou a importância de o Santos saber aproveitar o fato de que ainda tem dois jogos a disputar neste primeiro turno, fato que o credencia a saltar da atual nona posição para um possível sétimo lugar nesta terça, antes de se aproximar dos times do G4 da tabela em seguida. O time santista hoje tem 25 pontos, enquanto o Atlético-PR, atual quarto colocado, possui 34 pontos e 19 jogos disputados.

"Queremos usar esses dois jogos que faltam (no primeiro turno) como um gordura para queimar. Não pensamos em meio da tabela ou lá embaixo, temos que pensar lá em cima e mostrar a força do grupo. E vamos buscar esses dois jogos a menos para encostar no G4", projetou o garoto.

Já ao falar sobre o desgaste que será encarar o Inter na terça e o Flamengo apenas 48 horas depois, no Maracanã, pela primeira rodada do segundo turno, Emerson disse que o time santista está preparado para a maratona de partidas. "Na base, estamos acostumados com esses torneios de curto prazo e joga-se de um dia para outro. Dependendo da intensidade do jogo, dá para aguentar sim", afirmou. "Todo jogo é um sacrifício, uma decisão, ainda mais em um Brasileirão tão disputado. Será um desgaste a mais, mas uma equipe como o Santos tem que jogar para vencer", completou.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBrasileirãoSantos FCEmerson

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.