O São Paulo, contra os nervos em Caxias

Depois da conquista da Taça Libertadores, o São Paulo caiu de rendimento e não ganhou mais no Campeonato Brasileiro - já são quatro jogos sem vitórias. O nervosismo pela volta dos resultados positivos tem atrapalhado cada vez mais a equipe. Contra o Juventude, às 18h10, no Estádio Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul, os jogadores prometem acabar com a ansiedade e pôr um fim ao incômodo jejum . "Pelos jogadores que o São Paulo tem, não é normal uma posição tão ruim como a nossa", comenta o meia Souza, que tem nova chance como titular. "A falta de vitórias desconcentra, mas quando vencermos a primeira, vamos deslanchar".O técnico Paulo Autuori lembrou que se o time tivesse mais controle emocional e atenção, poderia estar em situação melhor. "No São Paulo, não há necessidade de nervosismo", diz. "Tivemos a vitória nas mãos, contra o Brasiliense (vencia por 3 a 1 e permitiu o empate), e por um vacilo nosso, deixamos o resultado escapar".Além do aspecto psicológico, o desafio de Autuori é superar a fase de transição pela qual a equipe está passando. A dificuldade é jogar sem um atacante de referência, como Luizão - que foi para o Nagoya Grampus, do Japão. "É necessário um esforço dos jogadores, que precisam se readaptar, mas sem sair das suas características", comenta. "Se o Amoroso ou o Tardelli atuarem fixos na área, por exemplo, vão cair de produção".Autuori dará outra oportunidade a Tardelli, mas sinaliza com nova chance, em breve, para Roger Rodrigues - jogador do grupo mais próximo das características de Luizão. Reforços de peso para o ataque só devem chegar às vésperas do Mundial de Clubes. "Não há opções no Brasil e buscar alguém no exterior é complicado", opina.Com a suspensão de Danilo, expulso diante do Atlético-MG, Souza também tem nova chance de se firmar. "Quero acabar com esse entra-e-sai do time", diz, satisfeito com o esquema com três volantes - Renan, Josué e Mineiro. "Terei mais liberdade para ir ao ataque". O zagueiro Lugano e o volante Mineiro voltam de suspensão e são reforços para a equipe.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.