O São Paulo está perdendo o rumo

A pressão que domina os jogadores chegou à presidência do São Paulo. A instabilidade do time que perdeu a final do Campeonato Paulista para o Corinthians e apenas empatou com o Gama na Copa do Brasil coincide com um grave momento na vida política do clube. Por um acordo firmado nas eleições, todos os dirigentes colocaram os cargos à disposição de Marcelo Portugal Gouvêa. O presidente está completando um ano, a metade do seu mandato, e pode trocar toda a diretoria se quiser. O cargo mais ameaçado e cobiçado é o do diretor de futebol, Carlos Augusto de Barros e Silva. Leia mais no Jornal da Tarde

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.