Paulo Pinto / São Paulo
Paulo Pinto / São Paulo

'Objetivo era voltar à Libertadores', diz técnico do São Paulo

Diego Aguirre avalia que boa fase no primeiro turno acabou gerando expectativa alta demais em todos no clube

Renan Cacioli, O Estado de S. Paulo

05 Novembro 2018 | 05h00

Estar na quarta posição da tabela do Campeonato Brasileiro merece ser comemorado por todos no São Paulo. Ao menos é esta a avaliação feita pelo técnico Diego Aguirre após o empate de domingo em 2 a 2 com o Flamengo, no Morumbi, pela 32ª rodada da competição. Questionado se ficar fora da briga pelo título não seria uma frustração após o time liderar por tanto tempo (foram oito rodadas), o uruguaio comentou que, na verdade, a expectativa acabou sendo grande demais.

"Quando acabar o campeonato, veremos qual será a posição final do São Paulo. Tenho falado muito das expectativas. Quando começamos, elas não eram tão altas, de pensar em ganhar o título. O objetivo do clube era voltar à Libertadores, uma coisa normal para o São Paulo, mas que se valorizava. O time gerou uma euforia em todos nós, na torcida, nos próprios jogadores. E por um momento, o sonho foi muito grande", comentou o técnico são-paulino.

"Depois, sofremos um duro golpe de duas derrotas (referindo-se aos tropeços contra Palmeiras e Internacional) e entrou um clima não de frustração, mas de tristeza porque ficamos longe de algo que vimos perto por um momento. O problema é esse. Às vezes, as expectativas são mais altas do que a realidade", emendou Aguirre.

Quando a pergunta foi sobre o que explicaria a queda de rendimento no returno do Brasileirão, Aguirre citou os muitos desfalques. "Perdemos muitos jogadores importantes por diferentes motivos. Não são desculpas, mas jogadores que tinham características importantes de contra-ataque. O time está sofrendo, estamos tentando aos poucos colocar os meninos que estão bem e respondendo, mas o time mudou por conta das características individuais", afirmou o uruguaio.

A principal baixa no período foi o meia-atacante Everton, que deverá voltar ao time na próxima rodada, no clássico contra o Corinthians, sábado, na arena do rival. Ele não joga desde o dia 6 de outubro, quando atuou na segunda etapa da derrota para o Palmeiras, por 2 a 0, no Morumbi. Além dele, o São Paulo perdeu na última semana o equatoriano Rojas, que machucou gravemente o joelho, passou por cirurgia e só retornará aos campos em 2019.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.