Joel Marcos/Reuters
Joel Marcos/Reuters

Obras são retomadas parcialmente na Arena Pantanal após morte de operário

Estádio estava interditado desde o último dia dez, quando homem foi eletrocutado durante expediente

Fátima Lessa, especial para O Estado,

13 de maio de 2014 | 19h57

CUIABÁ - O Ministério do Trabalho liberou parcialmente o retorno dos trabalhos de instalação dos equipamentos de tecnologia, informação e comunicação do setor leste da Arena Pantanal, que estava interditada desde o dia 10 depois da morte do operário Muhammad'Ali Maciel Afonso, de 32 anos, na quinta, 9. Ele morreu depois de receber uma descarga elétrica quando executava serviço de instalação de fiação elétrica no Setor Leste das arquibancadas.

Segundo a assessoria de imprensa da Etel Engenharia, as obras serão retomadas na Arena Pantanal "a partir de amanhã, quarta-feira, dia 14 de maio". Em nota, a empresa informou que a "Etel, que possui 37 anos, apresentou e cumpriu todas as documentações e exigências solicitadas". O retorno integral para finalizar o estádio da Copa do Mundo acontecerá quando a empresa apresentar "novos documentos solicitados pelo MT na tarde desta terça-feira". Isso acontecerá "nos próximos dias".

De acordo com a nota, "com a liberação, a Etel Engenharia cumprirá o cronograma de obras para a entrega total da Arena Pantanal". A empresa mais uma vez lamentou a morte de Muhammad'Ali Maciel Afonso e garante que "está dando a assistência necessária a sua família, no que tange apoio psicológico e financeiro".

OFICIAL

Apesar da liberação, as investigações continuarão. A Procuradoria do Trabalho em Mato Grosso instaurou inquérito civil para apurar a responsabilidade das empresas no caso. A Polícia Civil também abriu inquérito de investigação.

Peritos da Polícia Cientifica de Mato Grosso acreditam que o operário subiu a escada e removeu quatro placas do teto, formando um quadrante, e entrou num vão para fazer uma emenda num condutor elétrico para atender a outro circuito.

Segundo o perito criminal Rondon Souza Oliveira, o operário não vestia luvas. Em um dos eletrodutos, dois condutores com a ponta desencapadas e com características de que teriam sido usado recentemente.

Por telefone, ele informou que a vítima apresentava marcas de queimaduras por choque de corrente elétrica entre o dedo indicador e o médio da mão esquerda. Tudo indica que a causa da morte foi choque elétrico, mas Maciel apresentou corte na cabeça, originado "provavelmente ao bater contra o solo". O laudo deve sair em dez dias.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.