Oceania tenta recuperar voto em eleição da Copa

Confederação poderá pedir que suspensão de Temarii seja mantida, mas que interino tenha direito de votar

AE-AP, Agência Estado

25 de novembro de 2010 | 11h04

A Confederação de futebol da Oceania (OFC, na sigla em inglês) está buscando reconquistar o seu direito de votar na eleição das sedes das Copas do Mundo de 2018 e 2022. A OFC poderia pedir para que a suspensão de Reynald Temarii seja mantida, mas que o presidente interino tivesse direito a votar.

O Comitê Executivo da OFC se reúne no sábado em Auckland, na Nova Zelândia, para buscar maneiras legais de enviar o presidente em exercício David Chung para votar em Zurique, na próxima semana.

A Fifa disse que Temarii não pode ser substituído enquanto estiver recorrendo de uma suspensão de um ano imposta por infração das regras de confidencialidade da entidade ao ser filmado escondido. Uma opção é que Temarii renuncie aos seus direitos e a Oceania atrase sua eleição presidencial de 2011 até sua punição expirar em outubro.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCopa do MundoeleiçãoOceania

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.