Wilton Junior/Estadão
Wilton Junior/Estadão

Ochoa lamenta sétima eliminação do México nas oitavas, mas admite: 'Foi merecido'

Goleiro esteve nas últimas quatro quedas mexicanas em oitavas de final de Copas do Mundo

Estadão Conteúdo

02 Julho 2018 | 14h02

A seleção mexicana caiu pela sétima vez consecutiva nas oitavas de final de uma Copa do Mundo. Presente nas últimas quatro quedas, o goleiro Ochoa evitou falar sobre as eliminações anteriores e apenas lamentou a derrota por 2 a 0 para a seleção brasileira nesta segunda-feira em Samara.

+ Neymar manda recado aos mexicanos: ‘Falaram demais e foram embora para casa’

+ ANÁLISE: Brasil faz mais uma partida ‘pés no chão’, sofre e avança

+ ANÁLISE: Uma vitória particular de Tite e Willian

"Acho que só temos que falar sobre o jogo de hoje. Perdemos para uma equipe que demonstrou mais talento. Foi merecido porque eles buscaram mais o gol. Toda a equipe se empenhou, mas infelizmente não dá para ganhar todos os jogos", afirmou.

Ochoa fez mais um bom jogo contra o Brasil, mas não conseguiu repetir o desempenho da Copa de 2014, quando garantiu o empate sem gols em duelo pela primeira fase. Segundo ele, no duelo desta segunda-feira faltou tranquilidade a sua equipe. "Nos faltou precisão em alguns momentos. Fomos precipitados."

 

Presente na seleção mexicana desde a Copa de 2006, na Alemanha, o goleiro de 32 anos ainda não sabe se estará em condições de defender a equipe no Catar em 2022. No entanto, ao fazer um balanço sobre suas participações, demonstrou estar safisfeito. "Realmente, no âmbito pessoal, fico tranquilo por ter tido a oportunidade de participar de mais um Mundial. Mas não posso estar contente porque o México não foi adiante", comentou.

No duelo em Samara, os torcedores mexicanos foram ampla maioria no estádio. Durante o primeiro tempo, inclusive, gritavam "olé" conforme sua seleção tocava a bola. Também vaiavam Neymar cada vez que pegava na bola. "Eles estão sempre presentes. Agradeço por terem vindo até aqui. É por ele que jogamos", finalizou.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.