Antonio Lacerda/ EFE
Antonio Lacerda/ EFE

Odair Hellmann elogia esforço do Flu: 'Tenho que aplaudir de pé os jogadores'

Apesar da derrota para o Flamengo, treinador se mostra satisfeito com o desempenho de sua equipe

Redação, O Estado de S.Paulo

16 de julho de 2020 | 00h34

O Fluminense voltou a ser derrotado pelo Flamengo, desta vez por 1 a 0, na noite desta quarta-feira, na final do Campeonato Carioca. Apesar do resultado negativo, o técnico Odair Hellmann se mostrou satisfeito com o desempenho e exaltou o esforço dos seus jogadores após o vice-campeonato. 

"O que nós fizemos nesses três jogos eu só tenho que aplaudir de pé os jogadores pelo esforço e tudo o que fizeram. Enfrentamos uma das melhores equipes das Américas, se não a melhor. E nós, com oito dias de treino, seis jogos em 15 dias, demos essa resposta. Jogamos de igual para igual, até melhor em muitos momentos", disse o treinador.

Flu e Fla fizeram três jogos consecutivos nos últimos oito dias. Na quarta-feira passada, decidiram o título da Taça Rio, o segundo turno do Estadual. Ao vencer o jogo, nos pênaltis, o Flu forçou a disputa dos dois jogos da final do Carioca porque o Fla se sagraria campeão em caso de vitória naquele duelo, por ter vencido o primeiro turno.

O desgaste físico foi maior para o Flu nesta série de jogos porque a equipe foi uma das últimas a retomar os treinos, assim como o Botafogo. Os dois times protestaram contra o retorno do Carioca, que consideraram precoce, em razão da pandemia do novo coronavírus. Por outro lado, o Fla foi justamente a equipe que voltou primeiro aos trabalhos. 

Ao fim da partida disputada mais uma vez no Maracanã, Odair Hellmann também atribuiu a dificuldade do Flu à questão física. "Sentimos um pouco, a perna pesou. E, quando a perna pesa, a cabeça já não pensa com tanta tranquilidade e não conseguimos desenvolver todos os lances de posse de bola e de ataque", justificou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.