Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Odebrecht encerra atividades na Arena e preocupa Corinthians

Clube e construtora discutirão como terminarão as obras em Itaquera

Paulo Favero e Raphael Ramos, O Estado de S. Paulo

30 de setembro de 2015 | 22h20

A Odebrecht anunciou nesta quarta-feira que não vai mais fazer qualquer atividade na Arena Corinthians. A empresa pegou os dirigentes do clube de surpresa, até porque ainda existem muitas coisas que precisam ser feitas no estádio em Itaquera. A reportagem do Estado esteve no local e não observou qualquer atividade ou operários trabalhando. "A Construtora Norberto Odebrecht desmobilizou o seu efetivo na Arena Corinthians e permanece no local apenas uma pequena equipe de empresas especializadas", avisou.

Agora, clube e empresa vão discutir nos bastidores o que será feito para que o trabalho seja encerrado. Até no custo das obras que faltam ser feitas há divergências, pois estima-se que sejam necessários algo entre R$ 90 milhões e R$ 200 milhões. Para a Odebrecht, todo dinheiro que foi acordado no valor contratual, de R$ 985 milhões, já foi gasto e por isso mesmo o trabalho está encerrado.

Em recente visita da reportagem do Estado, pôde-se perceber que muita coisa não foi feita em relação ao projeto original, como o memorial de troféus no prédio oeste, o paisagismo e o projeto visual no entorno do estádio, e até a instalação completa do painel de led na fachada leste, que não funciona totalmente desde que um guindaste caiu na lateral da arena. Agora, o problema está estabelecido e não se sabe quem vai terminar a tarefa e pagar o restante da conta. Uma coisa é certa: não existe a possibilidade de devolução de dinheiro, pois por contrato a obra precisa ser terminada.

O Corinthians conta com um trabalho de acompanhamento do cumprimento do Projeto Arquitetônico, feito pelo escritório CDC Arquitetos. Anibal Coutinho, sócio do escritório, preferiu não comentar o assunto, mas ele foi um dos autores de um relatório de 165 páginas no qual aponta dezenas de itens que não foram entregues. A cúpula do Corinthians tem em mãos esse dossiê e por isso mesmo sabe da gravidade da saída da Odebrecht neste momento.

Tanto que o clube divulgou uma nota oficial nesta quarta-feira. "O Sport Club Corinthians Paulista informa que já possui contrato, desde dezembro de 2011, com as empresas de Arquitetura CDC e DDG, que inclui em seu objeto, o acompanhamento do cumprimento do Projeto Arquitetônico da Arena Corinthians até a entrega e aceitação do CAF (Certificado de Aceitação Final) da obra. O clube, naturalmente, está prestes a contratar empresa(s) especializadas(s) para a verificação do efetivo cumprimento do Contrato de Construção, no que se refere às demais áreas da obra. Não se pode ainda, falar em valores finais, o que seria pura especulação", disse.

CONFIRA A NOTA NA ÍNTEGRA

"A Construtora Norberto Odebrecht (CNO) esclarece que concluirá hoje, dia 30 de setembro, as obras de acabamento do Centro de Convenções da Arena Corinthians, finalizando assim os trabalhos que ficaram dentro do valor contratual acordado com o Sport Club Corinthians Paulista, de R$ 985 milhões.

O Escopo das obras foi estabelecido de comum acordo com o SCCP ao longo da construção, respeitando os ajustes ou modificações de especificações previstas no contrato e definidas pelo clube como aquelas necessárias para o pleno funcionamento da Arena, cuja aceitação vem sendo comprovada pela torcida e pelos sucessivos recordes de público.

A CNO desmobilizou o seu efetivo na Arena Corinthians e permanece no local apenas uma pequena equipe de empresas especializadas, que finaliza uma área de vitrine na entrada principal do lado oeste, além de realizar outros ajustes em algumas áreas que já tiveram obras concluídas."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.