Oeste faz jogo histórico no Paulista

Sem grandes investimentos e com uma folha salarial que gira em torno de R$ 60 mil, o Oeste faz a primeira partida de sua história no Campeonato Paulista da Série A1 nesta quarta-feira, às 20h30, contra o Santos, no acanhado estádio Ideonor Picardi Semeghini, em Itápolis. E para superar a qualidade técnica do adversário que, mesmo desfalcado, contará com jogadores como Renato, Léo e Paulo César, o time do interior apostará na pressão de seus torcedores. Para a partida, os moradores de Itápolis e região, que aguardam ansiosos pela estréia da equipe, prometem lotar os 17.200 lugares do estádio, conhecido como a "La Bombonera do Interior". "A torcida é um das nossas armas e pode nos ajudar a conquistar a vitória. Mas não podemos esquecer dos jogadores, pois eles é que decidirão em campo", frisou o técnico Márcio Rossini. Há 10 dias, em amistoso, o caçula venceu o Palmeiras, por 2 a 1. Dentro das quatro linhas, a esperança de gols estão depositadas no experiente atacante Paulinho, que ganhou destaque defendendo Inter de Limeira e América. Na defesa, o Oeste conta com um zagueiro com experiência internacional. Apesar de ter apenas 22 anos, Marcelo já defendeu o Barcelona-B e Zaragoza, ambos da Espanha. A única dúvida de Rossini está no meio campo. Se optar por uma formação mais defensiva, o time contará com três volantes: Silas, Leandro Matera e Goiano. Caso contrário, o meia Marcinho entra na vaga do último.

Agencia Estado,

20 de janeiro de 2004 | 17h47

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.