Oeste recorre ao STJD na segunda-feira

O advogado do Oeste, de Itápolis, José Carlos Rodriguez, confirmou nesta sexta-feira à tarde que o clube vai mesmo recorrer ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) do Rio de Janeiro na tentativa de recuperar os 12 pontos perdidos no Campeonato Paulista por uso irregular de atletas. A manifestação deve acontecer na segunda-feira, dentro do prazo de três dias úteis para o procedimento. "Achamos que seria precipitado entrar já com este recurso, mesmo porque dependemos da ata da última reunião", disse o advogado, que defende o Oeste há três anos, remunerado pelo Sindbol - Sindicato dos Clubes de Futebol. O julgamento do recurso foi na quinta-feira, na sede da TJD e o time do interior sofreu sua segunda derrota, desta vez por unanimidade: 9 a 0. No primeiro julgamento, em primeira instância, perdera por dois votos a um. O Oeste usou os jogadores Daniel, Marcelo Santos e Adão de forma irregular. Eles atuaram contra Santos e Santo André sem o cartão de inscrição e sem as respectivas transferências das Federações do Paraná e de Santa Catarina. Além de perder 12 pontos o clube foi multado em R$ 10 mil. O STJD do Rio é a última esperança do Oeste, porque não há instância desportiva superior. O clube está seriamente ameaçado de ser rebaixado para a Série A2 em 2005. Para outro advogado, Alexandre Rodrigues, que fez exclusivamente a sustentação oral e a defesa do Oeste no Tribunal Pleno o dia após o julgamento foi ainda com "adrenalina lá em cima". Apesar da sua derrota nos votos, por unanimidade, ele acha que existem equívocos por parte do departamento técnico da Federação Paulista e há vícios no processo. Ele garante que tentou o recurso dentro de um "posicionamento moderno", respeitando a decisão dos membros do TJD a quem considera dentro da linha conservadora. "Tudo, porém, foi bem fundamentado. O direito não é uma ciência exata e, por isso mesmo, dá margem a diversas interpretações." Dentro de campo, a preocupação do técnico Luís Carlos Martins é fazer com que a disputa judicial não tire o ânimo dos jogadores. Mesmo com 12 pontos a menos, o time já conseguiu somar seis pontos e planeja somar mais seis nos últimos três jogos. Por isso mesmo, um empate contra o Palmeiras, domingo, em São Paulo, seria fundamental. Depois o Oeste recebe o União São João, encerrando sua participação fora de casa contra o Marília. "No futebol tudo é possível. Quem imaginava que nós tivéssemos seis pontos e o União nenhum? Dentro de campo, a história é diferente. Ganha quem tiver mais competência e correr mais", comentou Martins. O plano é chegar aos 12 pontos e torcer para que o União não some nenhum. Daí o Oeste, caçula da elite paulista, permaneceria na Série A1 pela melhor campanha.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.