Oeste tenta último recurso no STJD

Após polêmicas e denúncias, o clima entre Oeste e Federação Paulista de Futebol (FPF) ficou tenso. O clube entrou nesta terça-feira com um recurso no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), no Rio de Janeiro, contra a perda de 12 pontos no Campeonato Paulista. Essa será a última tentativa de reaver a decisão que culminou no rebaixamento do time. O julgamento no Rio acabou se tornando a salvação para o Oeste. O presidente de honra Mauro Guerra afirmou, em entrevista à Rádio Central de Campinas, que "a Federação quem trouxe esses problemas para o clube". O dirigente acredita que fora da FPF ela possui mais chances de obter êxito nos tribunais. Ele admite até ir à Justiça Comum. Mostrando visível descontentamento com a entidade, ele fez duras críticas. "Ela é muito mal dirigida. Na verdade, o Marco Polo (Del Nero) não manda na Federação. Existem muitos funcionários que mandam mais do que ele." Estas declarações reforçam também o discurso de Ernesto Garcia, o Ernesto Cabeça, presidente de fato do clube, logo após a derrota para o Palmeiras, por 2 a 1, no Parque Antártica. O dirigente também culpou a Federação pela situação do clube e insinuou que Guarani e União São João combinaram o empate, sábado, em Campinas. O empate por 1 a 1 criou novas polêmicas. Mauro Guerra esteve presente no Estádio Brinco de Ouro, em Campinas, juntamente com o técnico Luís Carlos Martins e afirmou que achou estranho o empate. "Faltou vontade para o Guarani ganhar o jogo." As declarações geraram mal-estar. Tanto que na segunda-feira, os dirigentes de Guarani e União entraram no Tribunal de Justiça Desportiva (TJD) pedindo que sejam apuradas as infrações disciplinares. Alegação é de que isso poderá denegrir a imagem dos dois times. O pedido atende ao artigo 81 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva, que tem por fim apurar uma infração no processo disciplinar e, consequentemente, abrir um inquérito caso se comprovem as declarações. Novo julgamento - Caso não consiga reverter a decisão tomada pelo TJD, o clube de Itápolis será obrigado a disputar a Série A2 em 2005, tendo em vista que essa será a terceira e última instância legal. O prazo de três dias úteis para recorrer acabou justamente nesta terça-feira. O data do julgamento ainda não foi definida, mas é bem provável que seja realizada antes do término da primeira fase do Paulista, dia 14. União São João, Guarani e Mogi Mirim continuam como terceiros interessados - como ocorreu nos dois primeiros julgamentos -, sendo representados pelo advogado João Zanforlin. O Oeste foi punido pela perda de 12 pontos por ter escalado de forma irregular os jogadores Adão, Daniel e Marcelo Santos nas derrotas para Santos (1 a 0) e São Caetano (3 a 1). O clube perdeu em primeira instância por 2 votos a 1. Na segunda instância, a derrota foi por unanimidade (9 a 0). A princípio, o time já está rebaixado no Grupo 2, com seis pontos negativos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.