Vitor Silva/SS Press
Vitor Silva/SS Press

Ofensas de Emerson a árbitro e à CBF são relatadas em súmula

Igor Junio Benevenuto teve ajuda de quarto árbitro para escrever reclamações de atacante e Julio Cesar; caso pode parar no STJD

O Estado de S. Paulo

18 Setembro 2014 | 09h03

O cartão vermelho e as reclamações após a expulsão na derrota do Botafogo para o Bahia pode render uma suspensão a Emerson Sheik maior do que uma partida. Após o fim do jogo, vencido pelo time de Salvador, de virada por 3 a 2, o atacante da equipe alvinegra teve suas ofensas proferidas à CBF e a Igor Junio Benevenuto relatadas pelo árbitro na súmula da partida desta quarta-feira, válida pelo Campeonato Brasileiro.

"Expulsei aos quatorze minutos do segundo tempo de partida o atleta de número 7, sr. Márcio Passos de Albuquerque, ao receber uma segunda advertência na partida, por atingir com um chute na altura da coxa direita de seu adversário de número 8, na disputa de bola. Cumpre informar que o referido atleta havia sido advertido anteriormente por reclamação ao proferir as seguintes palavras a mim: 'apita essa p...!'. Após ser expulso, o mesmo veio em minha direção e proferiu as seguintes palavras:'safado, sem vergonha, você é um m..., vagabundo, não apita nada!', escreveu o árbitro na primeira parte.

Na segunda, Benevenuto contou com a ajuda do quarto árbitro para relatar as reclamações de Emerson à CBF. "informo ainda que ao se retirar de campo, o mesmo foi em direção à câmera de TV e proferiu as seguintes palavras: 'a CBF é uma vergonha, uma vergonha!', fato observado e relatado a mim pelo quarto árbitro da partida sr. Raphael Silvano Ferreira Silva que estava próximo ao referido atleta."

Além dos relatos sobre Emerson, o árbitro também escreveu sobre as palavras proferidas por Julio Cesar. "Ao término da partida, expulsei com cartão vermelho direto o atleta de número 26, sr. Julio César Coelho de Moraes por vir em minha direção batendo palmas e proferindo as seguintes palavras: 'você é uma vergonha, agora pode vestir a camisa do Bahia, safado!'. Após ser expulso, o mesmo continuou proferindo as seguintes palavras: 'filho da p..., safado, vagabundo, sem vergonha. Você tem é que apitar a Série C."

O único jogador botafoguense expulso que não teve ofensas ao árbitro relatadas foi o peruano Cachito Ramírez. "Expulsei com cartão vermelho direto, aos onze minutos do segundo tempo o atleta de número 14, sr. Luís Alberto Ramírez Lucay da equipe do Botafogo F. R. , por atingir com um tapa o rosto de seu adversário de número 8 , na disputa de bola."

Com as ofensas proferidas por Julio Cesar e principalmente Emerson, o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) pode oferecer denúncia aos atletas e aumentar o número de jogos de suspensão. Caso isso aconteça, a luta para escapar do rebaixamento do Botafogo pode ficar ainda mais complicada. Com a derrota para o time baiano, o time foi para a 17ª colocação no Brasileirão, com apenas 22 pontos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.