Ofertas e assédio irritam Geninho

O assédio de empresários, procuradores, assessores, representantes, parentes e atravessadores de jogadores de futebol já irritou o técnico do Corinthians, Geninho. Enquanto a diretoria tenta concretizar a contratação de um volante e de um atacante para as vagas de Vampeta e Lucas, ambos afastados por causa de graves lesões, o treinador se tornou vítima desses "profissionais". Desde o anúncio de que o clube buscava reforços, a situação chegou a ser descrita como ?insuportável?.Dentre as aporrinhações, a que mais tem incomodado é o oferecimento de atletas. A bagunça é tamanha que não raro diferentes pessoas ligam para oferecer o mesmo jogador. "É um absurdo o que ligam para propor negociação", afirmou o comandante. "Basta o Corinthians anunciar que pretende contratar para todo mundo ficar agitado."Mas quando um clube como o Corinthians decide contratar alguém, não apenas agita o mercado, como também o inflaciona. "Jogadores que seriam negociados por "x" com outro clube, aqui pedem "10x". Assim fica difícil", lamentou o treinador. Quem também tem sofrido nesse processo é o vice-presidente de Futebol, Antonio Roque Citadini. "São muitas ligações. O mínimo que a gente faz é tentar ser educado com todos, atender numa boa. Porém, não sai nada de concreto."Reforço - Entre os nomes com os quais os corintianos estão negociando, está o do volante Cocito, do Atlético-PR. O jogador tentou por várias vezes renovar seu contrato, que termina em junho, mas ainda não conseguiu. "Conversei com o Marcel (Figer, procurador do atleta) e ele confirmou que os clubes estão mesmo negociando sobre o Cocito", afirmou José Miguel, assessor do escritório da família Figer. "A negociação direta com o jogador não começou porque estão esperando os clubes chegarem a um acordo primeiro."Para a partida de domingo, em Florianópolis, contra o Figueirense, na segunda rodada do Campeonato Brasileiro, Geninho não contará com o zagueiro Anderson, suspenso, e com o lateral-esquerdo Kléber, que nesta sexta-feira voltou a sentir a contusão no tornozelo que o afastou da estréia diante do Atlético-MG. Entram César e Roger, respectivamente. "Não podemos deixar ninguém disparar nessa competição (Nacional). Depois fica difícil alcançar", observou Geninho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.