Olaria bate Fla no Maracanã por 3 a 0

O Flamengo começou mal a disputa pelo bicampeonato do Campeonato Carioca ao ser goleado neste domingo pelo Olaria, por 3 a 0, no Maracanã. O Rubro-Negro decepcionou os torcedores mais uma vez. Antes, havia perdido para o Volta Redonda em amistoso. O Olaria, por sua vez, quebrou um jejum de 33 anos sem derrotar o adversário no Maracanã. E continua sem sofrer gols do Flamengo. Nas duas partidas no ano passado, o Rubro-Negro também não conseguiu sair do zero no placar.O Flamengo iniciou o jogo errando muitos passes e cedendo contra-ataques para o Olaria. Era o prenúncio de que o goleiro Diego teria muito trabalho na partida. Mas, aos poucos, o time passou a equilibrar as ações, apesar de não conseguir finalizar em gol. E, aos 24 minutos, teve início o pesadelo para o time da Gávea. França cruzou e Edvaldo, de cabeça, inaugurou o placar.Abatido com o gol, o Flamengo não conseguiu se organizar em campo. O zagueiro Jarró era o destaque do jogo, marcando com seriedade e anulando os atacantes Marcos Denner e Dimba. Nos minutos finais da primeira etapa, o Olaria assegurou a vitória. William, após desperdiçar excelente oportunidade em um contra-ataque, se redimiu ao marcar um gol de cabeça aos 40 minutos.E, aos 43 minutos, em novo contra-ataque, William assinalou seu segundo gol no jogo, o terceiro do Olaria, para a alegria do torcedores do Fluminense. Os tricolores, que ajudaram na torcida contra o Rubro-Negro, estavam no Maracanã para a segunda partida do dia, que a sua equipe iria realizar contra o Madureira.Revoltada com o desempenho do time, a torcida do Flamengo começou a hostilizar os jogadores e o presidente do clube, Márcio Braga, que estava na tribuna de honra do Maracanã. No campo, o experiente meia Zinho apresentou as desculpas, alegando que o time jogara mal a primeira etapa e que o primeiro gol do Olaria desestabilizou a equipe.No segundo tempo, o Flamengo voltou disposto a, pelo menos, descontar o marcador. Mas esbarrou na boa atuação do goleiro Marcos Leandro e da incompetência de seus jogadores, principalmente dos atacantes. Dimba, por exemplo, perdeu uma boa oportunidade sem goleiro. Ele, porém, finalizou por cima do gol. Nem a expulsão do meia Léo, aos 17 minutos, fez o Rubro-Negro marcar seu gol de honra. Nos minutos finais, Dimba ainda acertou a trave.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.