Olaria vai a julgamento por ?motim?

O Tribunal de Justiça Desportiva da Federação do Rio deve se pronunciar, nos próximos dias, sobre os eventos ocorridos no jogo entre Bangu e Olaria, no sábado, pela última rodada daprimeira fase do Campeonato Carioca. A partida não terminou porque tanto jogadores quanto o técnico do Olaria, Sérgio Cosme,impediram a cobrança de um pênalti. O jogo terminou em 0 a 0.A tendência é a de que o Bangu ganhe os pontos por causa da atitude antidesportiva do adversário. Caso isto aconteça, oBangu garante uma das vagas para a Copa do Brasil, em 2004, já que terminará a competição em sexto lugar.Apesar de a partida ter sido somente para cumprir tabela, já que ambas as equipes não tinham mais chances de classificaçãotampouco de rebaixamento, o desejo de vencer era grande dos dois lados. Aos 35 minutos do segundo tempo, o atacanteLeozinho foi derrubado na área pelo zagueiro Daniel e o árbitro José Roberto Ezequiel marcou a infração. Revoltados, os jogadores do Olaria e o técnico Sérgio Cosme impediram a cobrança. A paralisação durou 18 minutos. Sem condições de reiniciar a partida, o árbitro chamou o capitão Magrão e expulsou todo o timedo Olaria, encerrando o jogo. O curioso é que, até a marcação do pênalti, nenhum cartão amarelo havia sido distribuído pelo árbitro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.