Olimpia acha que leva o título amanhã

As duras críticas do presidente do Olimpia, Osvaldo Domínguez Dibb, contra os jogadores e sua pedida de renúncia do cargo, parecem não ter mexido com os integrantes do elenco. E nem a derrota por 1 a 0 no jogo de ida, no Defensores del Chaco, mudou o pensamento dos atletas que garantem, sem importar com as possíveis conseqüências de suas palavras, que vencerão o São Caetano, amanhã, no Pacaembu, por dois gols de diferença e levarão o título da Taça Libertadores da América para o Paraguai. As denúncias do presidente que afirmou: "Durante muitos anos descuidei da minha família e da minha saúde pelo clube e infelizmente quando os jogadores precisam mostrar suas forças para reverter um resultado, passam a noite farrreando e bebendo," foram tranformadas pelo técnico Nery Pumpido - completou 45 hoje -, em motivação para os atletas. Ele reuniu o elenco antes do treino secreto, comandado no CT do Palmeiras - inicialmente estava marcado para o Palestra Itália - e orientou os jogadores que sufocassem o São Caetano. "Vamos atacar e ganhar por dois gols", disse o técnico a seus comandados. Apesar de brincar de esconde esconde com a imprensa brasileira, mudando o local do recreativo e autorizando apenas os paraguaios de acompanhar o último treino, ele foi traído pelos próprios compatriotas, que muito simpáticos, revelaram tudo o que aconteceu. Quando os portões foram abertos para os brasileiros, muitos jogadores já se alongavam, enquanto alguns ensaiavam cobranças de pênaltis. E nem a tática de todos deixarem o gramado ao mesmo tempo e entrarem logo no ônibus, deu certo. O goleiro Tavarelli e o atacante Benítez, atenciosos, atenderam a imprensa. E esbanjaram confiança. "Temos de marcá-los com inteligência para fazer os gols. E confio nos companheiros", afirmou o goleiro da seleção do Paraguai na Copa do Mundo. "Estamos com espírito para a final, e minha experiência na Copa será muito importante na decisão." E a confiança dobra quando os pênaltis são lembrados. "Acertamos todos contra o Grêmio," concluiu. "Conseguimos reverter todos os resultados fora de casa", enfatizou Benítez. "Nosso país não esperava a derrota em Assunção, jogamos muito mal, mas vamos levar o título para casa."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.