Oliveira descarta duelo contra Romário

Romário, o nome mais comentado do momento no Brasil, e Ricardo Oliveira, o atacante revelação, serão os protagonistas do duelo entre Vasco e Portuguesa, às 16 horas, em São Januário, pelo Torneio Rio-São Paulo. Os dois atletas já balançaram as redes na competição em 12 oportunidades, com vantagem para o vascaíno (7 gols). Mas o paulista leva vantagem na única vez em que enfrentou seu ídolo. Fez 3 gols, enquanto o rival marcou só 2 na vitória da Lusa por 5 a 4, no dia 11 de novembro pelo Campeonato Brasileiro. "É bom ser a atração, mas independentemente dos meus gols e dos dele, a partida terá muitos jogadores capazes de desequilibrar. Contamos com o Sinval, o Evandro, eles têm o Felipe, o Euller...", afirma Ricardo, sem esconder seu lado de fã do craque. "Sempre me espelhei nele e no Ronaldo, procurando tirar as coisas boas. O Romário está sempre no lugar certo e dificilmente perde gols. Deveria estar na seleção." Já o técnico Valdir Espinosa mantém o discurso diplomático. "Este negócio de duelo de atacantes serve apenas como promoção de jogo", disse. Mas acaba deixando escapar a preocupação com Romário. "Precisamos ter muita atenção com ele, não dar espaços." E ataca até de matemático. "O Vasco é nosso adversário direto. Se ganharmos, subimos, no mínimo, duas posições. E em caso de uma combinação de resultados, este número pode chegar a quatro." E na busca do triunfo, Espinosa mexe no time. Élvis entra na zaga, na vaga do suspenso Rogério Pinheiro, com a incumbência de parar Romário, enquanto Souza ganha a posição de Lelo no meio-de-campo. "Vai ser uma partida normal. Ano passado eu já o enfrentei, e até fiz gol", disse o tranqüilo zagueiro. Souza é outro que engrossa o coro por Romário na seleção. "Um jogador qualificado, que merece atenção. Dentro da área faz muitos gols e é unanimidade entre os brasileiros." Para evitar os gols, ele promete ?matar? a armação das jogadas.

Agencia Estado,

01 Março 2002 | 18h11

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.