Oliveira garante que poderá jogar final da Libertadores

Ricardo Oliveira está otimista em jogar a segunda final da Copa Libertadores da América, caso o São Paulo passe pelo Chivas nesta quarta-feira. Seu contrato com o clube do Morumbi termina no dia 10 de agosto, dois dias antes da decisão. Porém, o atacante considera boas as chances do Betis, detentor dos seus direitos federativos, entrar em um acordo com o São Paulo para, no mínimo, prorrogar o vínculo por mais alguns dias."De 0 a 10, a chance de eu ficar até a final é 10. De ficar até o final do ano é 5", disse Oliveira, antes do treino que o técnico Muricy Ramalho comandou na noite desta terça-feira, no Morumbi. O jogador revelou que o São Paulo mandará um emissário a Sevilha, na Espanha, nesta quarta-feira para negociar com o Betis. A intenção do clube do Morumbi é ficar com o atacante até o final do ano, eventualmente para a disputa do Mundial Interclubes, em dezembro, no Japão.Preparativos finaisMuricy treinou jogadas de bola parada, ofensivas e defensivas, por cerca de uma hora na noite desta terça. Na atividade, ele escalou o time titular com Rogério Ceni; Fabão, Lugano e Edcarlos; Souza, Josué, Mineiro, Danilo e Júnior; Leandro e Ricardo Oliveira. Essa é a formação que deve encarar o Chivas nesta quarta.Os jogadores também treinaram pênaltis. Das 45 cobranças realizadas, apenas sete foram desperdiçadas, o que dá um aproveitamento de aproximadamente 84%. Dessas sete, quatro foram defendidas por Rogério Ceni.Vale lembrar que caso o Chivas vença por 1 a 0, a definição sairá justamente na disputa de pênaltis.André Dias, fora novamenteA novela envolvendo o zagueiro André Dias pode terminar a qualquer momento. O Tribunal Superior do Trabalho deve dar um parecer sobre o novo pedido de efeito suspensivo feito pelo São Paulo.André Dias está impedido de jogar pelo time paulistano porque o Goiás, seu ex-clube, entrou na última semana com um mandado de segurança no Tribunal Regional do Trabalho de Goiás anulando a liminar que o jogador havia conseguido para mudar de time.No entanto, os dirigentes são-paulinos consideram remotas as chances do jogador atuar na partida desta quarta-feira, mesmo se liberado pela Justiça.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.