Olmos tenta reanimar seleção chilena

Assim como o Brasil, o Chile joga suas últimas chances de classificação para a Olimpíada de Atenas na partida desta sexta-feira, em Viña del Mar. Após a surpreendente derrota por 2 a 1 para o Paraguai, o técnico Juvenal Olmos tentou reanimar o elenco, ao assegurar que "a esperança continua viva". Mas a maioria dos torcedores já considera o sonho olímpico distante. Antes de perder para os paraguaios, a seleção local vivia uma lua e mel com a torcida e a imprensa do país, com a boa campanha realizada na fase de classificação, com três boas vitórias - sobre o Uruguai, a Venezuela e o Paraguai - e um empate, diante do Brasil, o que garantiu a vaga no quadrangular final sem a necessidade de disputar a repescagem. Mas a equipe que se viu em campo diante do Paraguai foi totalmente diferente e acabou com o clima de entusiasmo. Ao final da partida, Olmos reconheceu que foi a pior exibição do Chile no torneio. "Era um jogo muito importante, mas continuamos com chances", disse. "Precisamos recuperar a motivação. Foi uma derrota dolorosa, mas podemos reverter esse quadro." Apesar das palavras otimistas, a imprensa e os torcedores sabem que a situação do time se complicou, principalmente porque agora precisará superar os adversários mais difíceis do quadrangular, Brasil e Argentina. Para enfrentar o Brasil, Olmos deverá repetir a escalação, mas espera que dentro de campo o time não seja o mesmo. "Precisamos mostrar o bom futebol da primeira fase."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.