Jean Christophe Bott/ EFE
Jean Christophe Bott/ EFE

OMS sugere a clubes e à Uefa que futebol europeu seja suspenso até o fim de 2021, diz revista

Entidade vinculada à ONU se preocupa com novas ondas de transmissão do coronavírus; times temem colapso financeiro

Redação, Estadão Conteúdo

21 de abril de 2020 | 19h52

Em uma teleconferência feita com dirigentes da Uefa e alguns dos principais clubes europeus, a Organização Mundial de Saúde (OMS) recomendou que o futebol no continente seja suspenso até o fim de 2021, para evitar novas ondas de transmissões do coronavírus. As informações são da revista Placar.

A medida foi sugerida pela OMS após a apresentação de dois epidemiologistas, e na sequência deu-se um acalorado debate que durou por mais de duas horas, segundo a revista. Para ajudar a conter o espalhamento do vírus, a entidade vinculada à ONU acredita que o ideal seria a suspensão de todas as competições internacionais até o fim do próximo ano.

Para chegar a essa conclusão, a OMS teria feito estudos sobre os riscos de novas ondas de contágio em 2021 e demonstrado cenários prováveis aos responsáveis pela organização do futebol europeu, que, no entanto, não são obrigados a acatar a sugestão, a menos que os governos nacionais determinem oficialmente a proibição de eventos esportivos em seus países.

A reunião teve uma longa discussão entre a Uefa e os clubes sobre como sobreviver financeiramente em caso de uma paralisação tão prolongada. Um estudo da consultoria KPMG estimou que as perdas poderiam ser na casa de 4,1 bilhões de euros (aproximadamente R$ 22 bilhões) caso a atual temporada não seja concluída; em uma pausa mais longa, a própria existência dos clubes ficaria seriamente ameaçada.

Além disso, a opção de jogar as partidas com portões fechados não agrada totalmente, pelo prejuízo financeiro com a ausência de arrecadação da venda de ingressos, os jogadores e outras pessoas envolvidas ficariam expostas a riscos. E, com jogos com portões abertos, os clubes mandantes poderiam ser responsabilizados e obrigados a pagar indenizações caso alguém sofresse o contágio.

Assim, os envolvidos têm que decidir qual é o cenário menos danoso para as pessoas e para as organizações. Segundo a Placar, nenhum consenso foi alcançando nesta reunião. A Uefa quer terminar a temporada até o dia 29 de agosto; se necessário, com portões fechados. Alguns países, como a Alemanha, já projetam a volta dos campeonatos nacionais em maio.

Países como Itália, França, Espanha e Reino Unido estão entre os mais afetados pelo surto do novo coronavírus. No total, o continente já ultrapassou as marcas de 100 mil mortos e um milhão de infectados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.