@ECBahia
@ECBahia

Ônibus do Bahia é atingido por bomba na chegada à Fonte Nova e jogadores ficam feridos

Incidente aconteceu pouco antes da partida com o Sampaio Corrêa pela Copa do Nordeste; caso de Danilo Fernandes é o mais grave, informou o clube

Redação, O Estado de S.Paulo

24 de fevereiro de 2022 | 21h25

A delegação do Bahia sofreu um ataque com bomba na noite desta quinta-feira, quando o ônibus do clube chegava à Arena Fonte Nova para enfrentar o Sampaio Corrêa, pela Copa do Nordeste. O time tricolor informou que atletas ficaram feridos e o caso mais grave foi o do goleiro Danilo Fernandes, atingido por estilhaços no rosto. 

A explosão aconteceu na altura do último viaduto da Av. Bonocô. Com cortes próximos ao olho, Danilo Fernandes foi levado por uma ambulância para um hospital de Salvador. Alguns atletas também passaram mal por conta do susto causado. Em nota, o Bahia ainda informou que um carro, conduzido por uma mulher, que transitava ao lado do ônibus do time, também foi atingido.

Apesar disso, o técnico Guto Ferreira informou que os jogadores decidiram entrar em campo para encarar o Sampaio Corrêa. "O grupo, através da sua dignidade e do seu profissionalismo, vai entrar em campo para honrar as cores do Bahia", afirmou, que não pôde escalar o goleiro Danilo Fernandes, o lateral Matheus Bahia e o atacante Marcelo Cirino.

Guto Ferreira falou, em entrevista ao Nordeste FC, ainda sobre o estado de saúde dos jogadores. "Estilhaçaram os vidros, os estilhaços pagaram dois jogadores nossos, Danilo e Matheus Bahia. Matheus foi muito superficial. Danilo não foi nada de mais grave, mas esteve a um dedo de perder a visão. Cortou muito próximo do olho. Do tamanho da bomba, do estrondo da bomba, se uma das bombas entra no espaço que a outra provocou, com certeza causaria uma morte ali dentro”, disse.

A autoria do ataque ainda não foi confirmada. A diretoria do time tem vivido momentos de muita pressão desde o rebaixamento para a Série B do Brasileiro em 2021. A equipe também faz um início de temporada abaixo do esperado, com uma vitória nas últimas seis partidas, o que tem aumentado ainda mais a pressão. Guto Ferreira lamentou o episódio e desabafou sobre o ocorrido.

“Acho uma imbecilidade, as pessoas acham que esse tipo de coisa intimida o atleta e faz com que ele tenha rendimento. O que provoca tudo isso, porque eles pensam dessa maneira, por que agem dessa maneira? A gente precisa refletir, porque o buraco está muito mais embaixo. O buraco pode estar na nossa educação, naqueles que estão vendendo o tempo todo os maus profissionais que existem no Brasil. É sempre o treinador ruim, jogador ruim, problema de falta de desempenho. Nunca se consegue dimensionar o tamanho e o momento do trabalho. Os problemas não são resolvidos dessa maneira”, afirmou o treinador.

O governador da Bahia, Rui Costa (PT), se manifestou nas redes sociais. "Nada justifica o ataque covarde contra o ônibus do Bahia na noite desta quinta. Futebol não é campo de guerra, é paixão. Determinei imediata apuração. Jogadores, sejam eles do Bahia, Vitória ou qualquer outro time, são profissionais e merecem respeito"., escreveu no Twitter. "O crime será investigado e os autores do atentado - que eu prefiro não chamar de torcedores - devem ser julgados pela Justiça."

Tudo o que sabemos sobre:
Bahia [Esporte Clube Bahia]futebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.