Santos FC/Divulgação
Santos FC/Divulgação

Ônibus do Santos é apedrejado na chegada à Fonte Luminosa

Direção santista faz duras críticas a clássico no interior após incidente

O Estado de S.Paulo

27 de outubro de 2013 | 15h01

ARARAQUARA - A delegação do Santos foi recebida com pedras ao chegar no estádio da Fonte Luminosa, em Araraquara, para o clássico contra o Corinthians  neste domingo, às 16 horas, em partida válida pelo Brasileirão. As janelas do ônibus foram quebradas com o ataque dos torcedores e um massagista foi atingido no incidente. O clássico está sendo disputado no interior paulista examente por causa da ação de tocedores do Corinthians, que jogaram uma garrafa de água no árbitro assistente na partida da equipe contra a Portuguesa, no dia 29 de setembro.

O ataque gerou fortes criticas do diretor de futebol santista, o ex-jogador Zinho, que vê a equipe visitante punida com a mudança de mando de campo. "A gente viaja cinco horas para uns vândalos fazerem essa bagunça. A janela que atingiram era a de uma massagista, mas ele é gente também. A equipe já chega acoada e a punição é para o Santos, que acaba obrigado a viajar em uma partida que podia muito bem ser disputada no Pacaembu. Se quer punir, fechem os portões e pronto, senão acabam punindo a gente também", afirmou o dirigente em entrevista para a ESPN Brasil.

Outro a criticar o a ação contra o elenco santista e a partida no interior paulista foi o capitão Edu Dracena. "Infelizmente a gente já está acostumado com isso, mas vamos ver até quando", disse o zagueiro, que ainda criticou a partida ser disputada sob o forte calor de Araraquara às 15 horas, se não for levado em consideração o horário de verão. "Isso não pode. Colocar um jogo às 15 horas faz os jogadores correrem risco de desidratação. Por coisas como essa que tem agora o Bom Senso FC (movimento dos jogadores por melhores condições para os atletas). Espero que as pessoas que cuidam do futebol comecem a cuidar mais dos jogadores", concluiu o atleta, também em entrevista para a emissora de televisão. 

O ônibus do Corinthians também foi alvo da ira dos torcedores no percurso entre o hotel e o estádio. De acordo com o chefe da segurança corintiana, o coronel Dutra, torcedores cercaram o ônibus alvinegro e atiram pedra e garrafas de cerveja. Ainda de acordo com Dutra, não integrante da delegação foi ferido durante os ataques.  

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.