Onze anos depois, Palmeiras reencontra o carrasco ASA de Arapiraca

Time alagoano foi o responsável pelo vexame da eliminação na Copa do Brasil de 2002

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

28 de maio de 2013 | 08h00

SÃO PAULO - O Palmeiras revê nesta terça-feira pela segunda rodada do Brasileiro da Série B um antigo fantasma do clube, o ASA, de Arapiraca-AL. Foi o time nordestino que eliminou o clube paulista logo na primeira fase da Copa do Brasil de 2002 em pleno Parque Antática. Um golpe duro que foi o prenúncio do fatídico ano que terminaria com o rebaixamento à Série B do Campeonato Brasileiro.

O primeiro jogo entre as equipes foi em 13 de fevereiro daquele ano, com vitória do ASA em casa por 1 a 0. Embora o Palmeiras não tivesse vencido, bastava no jogo de volta, uma semana depois, ganhar por dois gols de diferença no Parque Antártica. Com Marcos no gol, Arce na lateral, Alex na criação e Vanderlei Luxemburgo como técnico, parecia não existir dúvida de que a tarefa era fácil.

Logo aos dez minutos de jogo o volante Galeano marcou de cabeça e deixou a missão encaminhada. Mas o time não jogava bem, cansou de errar passes e a má atuação começou a ser punida ainda no primeiro tempo. Aos 42,  Sandro Goiano igualou. Com isso, o Palmeiras passou a precisar no mínimo do placar de 3 a 1 , porque tinha levado um gol dentro de casa.

No segundo tempo houve novamente a impressão de que o resultado positivo viria. O volante Jânio, do ASA, foi expulso. O Palmeiras fez as três alterações e colocou Juliano, Fernandes e Muñoz em campo. Aos 23, uma luz surgiu no fim do túnel. O zagueiro César aproveitou o cruzamento de Arce e recolocou o Alviverde na frente.

Mas não foi suficiente. O bravo ASA de Arapiraca se segurou na defesa e mesmo com a derrota por 2 a 1, avançou à segunda fase da Copa do Brasil. No apito final, sobraram vaias e descontentamento da torcida. Segundo a edição do Estado do dia seguinte à derrota, um grupo de torcedores invadiu o vestiário do time e tentou agredir o diretor de futebol, Sebastião Lapola. Os jogadores deixaram o estádio escoltados pela polícia, tamanha a decepção pelo vexame.

FICHA TÉCNICA

Copa do Brasil - 20/02/2002

Palmeiras 2 x 1 ASA-AL

PALMEIRAS: Marcos; Alexandre, César e Galeano; Arce, Fernando (Juliano), Magrão (Muñoz), Alex e Adauto (Fernandes); Itamar e Christian. Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

ASA: Márcio; Cléber, Rogério e Kiko; Sandro (Da Silva), Fernando, Jânio, Juninho (Júnior) e Ivan; Sandro Goiano e Fuscão (Sandro Miguel). Técnico: Ubirajara Veiga.

ÁRBITRO: Edílson Soares da Silva (RJ)

CARTÕES AMARELOS: Alexandre, César, Alex, Itamar, Sandro, Fernando e Sandro Goiano.

EXPULSÃO: Jânio.

GOLS: Galeano aos 10 minutos e Sandro Goiano aos 42 minutos do primeiro tempo; César aos 23 do segundo.

Edição do Estado no dia seguinte à derrota

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.