Cruzeiro Football Club/AFP
Cruzeiro Football Club/AFP

Operação de compra de ações do Cruzeiro por Ronaldo vai atrair outros investidores; leia análise

Transação atrairá atenção internacional e com isso os clubes brasileiros entrarão no radar de grandes grupos

Eduardo Carlezzo*, Especial para o Estadão

18 de dezembro de 2021 | 18h58

A compra de 90% das ações do Cruzeiro trata-se de uma operação histórica, em vários sentidos. Primeiro, por ser a primeira aquisição de um clube feita no modelo de SAF (Sociedade Anônima do Futebol). Segundo, porque um dos clubes grandes do país passará a ser de propriedade de um investidor. E terceiro, porque este investidor simplesmente é o Ronaldo, um nome que dispensa apresentações em qualquer parte do mundo.

A partir disso, não há dúvida de que essa transação atrairá atenção internacional e com isso os clubes brasileiros entrarão no radar de grandes investidores, algo que até poucos meses atrás simplesmente não existia.

Abre-se uma nova página na história do futebol nacional. Os clubes abandonam o falido modelo associativo para entrar de vez dentro do modelo capitalista, já presente em todos os países relevantes no contexto global. 

Vários clubes já estavam se mobilizando para fazer a transformação em SAF. Isso tende a aumentar a partir desta transação. Agora, cabe ver como reagirão os outros clubes grandes, pois vários deles até o momento não haviam mostrado nenhuma intenção nesta transformação em empresa: 2022 será um ano eletrizante e um divisor de águas na história do nosso futebol.

*ADVOGADO ESPECIALIZADO EM DIREITO DESPORTIVO; PARTICIPOU DA ELABORAÇÃO DA SA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.