Operado após choque com atacante Fred, goleiro do Paraná ficará 45 dias fora

Léo se chocou com jogador do Atlético-MG durante partida do último dia 31 de maio pela Copa do Brasil

Estadao Conteudo

08 de junho de 2017 | 20h14

O goleiro Léo, do Paraná, que se chocou violentamente com o atacante Fred, do Atlético Mineiro, em um lance da partida de volta das oitavas de final da Copa do Brasil, no último dia 31, passou por uma cirurgia bucomaxilofacial nesta quinta-feira, no Hospital Evangélico, em Curitiba, e deverá ficar cerca de 45 dias fora dos gramados.

De acordo com informações do clube paranista, foram colocadas duas placas de titânio para a correção das fraturas. O procedimento foi comandado pelo médico Marco Antônio Oliveira, especialista em cirurgias de face, e considerado um sucesso. O jogador, segundo nota publicada no site oficial do Paraná, deveria ter alta ainda nesta quinta.

"Pela avaliação, em breve ele (Léo) já poderá retornar aos treinos, inicialmente para a parte física, sem bola. A previsão é que dentro de 45 dias ele já esteja apto a voltar aos gramados", projetou Mothy Domit, coordenador médico do Paraná.

O goleiro se machucou ao tentar impedir o segundo gol do time atleticano - que já vencia por 1 a 0 - na etapa final do duelo, realizado em Belo Horizonte, que culminou na eliminação da equipe paranaense da competição - o clube havia vencido os mineiros, em Curitiba, por 3 a 2. Na disputa de bola, Léo recebeu uma joelhada no rosto de Fred que, ao perceber a gravidade da contusão, mal comemorou o gol e pediu imediatamente o atendimento ao adversário.

Léo sangrou muito ainda no gramado e deixou o campo com um inchaço muito grande na região do ferimento. Ele foi encaminhado a um hospital na região do estádio Independência. Devido à gravidade do problema, o goleiro ficou em observação na capital mineira, enquanto os colegas retornaram a Curitiba. Somente durante a tarde seguinte à partida, o jogador foi liberado para voltar à capital paranaense.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.