Opinião - Competição será muito especial para os times argentinos

Jornalista analisa as possibilidades e comenta a esperança dos times argentinos na Libertadores da América

Cristian Grosso é editor de Esportes do jornal argentino La Nación, O Estado de S. Paulo

16 de fevereiro de 2015 | 20h39

Esta Copa Libertadores será muito importante para as equipes argentinas, diria que é mais importante das últimas décadas. Por quê? Porque, pela primeira vez na história, quatro grandes equipes estarão na disputa: San Lorenzo, Boca, River e Racing. Isso nunca ocorreu antes.

Além disso, para os quatro times esta é a grande prioridade do primeiro semestre do ano, o objetivo dos quatro é ganhar a Copa. O San Lorenzo porque é o campeão, o Boca porque tem um romance eterno com ela, o River porque no plano internacional tem muitas contas pendentes e no caso do Racing porque nunca mais conseguiu vencer uma Libertadores desde 1967.

E ainda passaram pela fase preliminar o Estudiantes – que já foi campeão quatro vezes e o Huracán, clube muito popular que não disputava a competição havia 41 anos. Ou seja, a Copa Libertadores é o torneio que desperta o interesse de todas as equipes argentinas e este ano estão todas determinadas a ganhá-la.

E também, como o campeonato nacional será longo, de fevereiro a novembro, pela primeira vez desde 1991, as equipes sabem que podem descuidar um pouco dele para se dedicar com exclusividade à Libertadores. 

Tudo o que sabemos sobre:
Copa Libertadoresfutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.