Oposição corintiana quer fim da parceria com MSI em 60 dias

Multa para o rompimento do acordo de 10 anos, que se encerra em 2014, é de R$ 46 milhões

Fábio Hecico, do Estadão,

23 de julho de 2007 | 21h04

A parceria entre Corinthians e MSI pode estar no fim. E, se depender da oposição do clube, acaba no máximo em 60 dias. Nesta terça, será realizada a reunião do Conselho Deliberativo e o rompimento com os parceiros é o único assunto da pauta - Carlos Senger não quis incluir na votação o afastamento temporário do presidente Alberto Dualib."A parceria como está sendo conduzida não é benéfica para o Corinthians", informou o conselheiro Raul Corrêa da Silva. "Nenhum casamento sobrevive com o marido ou a mulher em São Paulo e a mulher ou o marido em Londres, mas não podemos votar para rasgar o contrato", lamenta.A multa entre Corinthians e MSI para o rompimento do acordo de 10 anos - até dezembro de 2014 - é de US$ 25 milhões (cerca de R$ 46 milhões). Por isso, os opositores querem afastar Dualib e seus vices do comando. "Temporariamente, apenas por 60 dias, para fazermos uma avaliação imparcial nas contas, analisar contratos e investigar se houve fraudes nos balanços do Corinthians", informou Raul. A oposição está formando comissão de notáveis advogados corintianos que analisariam a situação sem custos aos cofres do clube e "com olhares de isenção, pois Corinthians e MSI não estão batendo em suas informações".A oposição vai colocar as denúncias do Ministério Público contra os investidores da MSI para acusar a parceira de irregularidades. Ou seja: teria subsídios para o rompimento do contrato sem a necessidade de pagamento da multa. "Temos de fazer algo que não atinja a parte financeira do clube. Não vejo como romper pagando a multa."De acordo com Raul, o Corinthians carece de uma análise econômica detalhada para não ir à falência. "Precisamos ver onde o clube ganha, onde perde, o que podemos corta", disse. "Hoje, devemos mais de R$ 100 milhões. Até dezembro, vamos atingir uns R$ 130, 140 milhões", garantiu o conselheiro, responsável por levantar as dívidas do clube para a oposição, preocupado com o futuro do clube. A MSI informou, por sua assessoria, que só se manifestará após o resultado da reunião.Fora DualibA oposição se reuniu nesta segunda-feira à noite, antes da reunião do Conselho de Orientação Fiscal (Cori) para traçar suas próximas metas - continuam recolhendo assinaturas para marcar uma reunião extraordinária do Conselho a fim de votar a saída preventiva de Dualib e seus vices do comando. "Não tivemos nosso requerimento atendido pelo Senger (Carlos, presidente do Conselho) para votarmos já amanhã (terça), mas não desistiremos. Faremos de tudo para tirá-lo do comando", informou Felipe Ezabella, responsável pelos trâmites jurídicos da oposição.

Tudo o que sabemos sobre:
CorinthiansMSI

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.