Oposição corintiana sofre derrotas

A parceria Corinthians/MSI ganhou nesta quinta-feira mais um round contra a oposição do clube. O pedido de liminar impetrado pelo advogado Wilson Canhedo, que tentava anular a reunião do Conselho Deliberativo que aprovou o contrato, dia 23, não foi aceito pelo juiz Cláudio Pereira França, da 2ª Vara Cível do Fórum Regional do Tatuapé. O magistrado considerou insuficiente a argumentação feita pelo conselheiro corintiano.Wilson Canhedo promete entrar nesta sexta-feira com novas ações judiciais no mesmo fórum. "Cada cabeça uma sentença e, quem sabe, com outro juiz, poderemos ter mais sorte", afirmou o advogado.De acordo com Wilson Canhedo, o pedido está bem embasado e foi aprovado por nomes de peso da área de direito, como Rubens Approbato Machado e Miguel Marques e Silva.O juiz Cláudio Pereira França também indeferiu outra ação, que pedia o cancelamento do contrato com a MSI. Por dois motivos: primeiramente, ele entendeu que, não tendo sido anulada a reunião que o aprovou, o acordo se mantém válido. Em segundo lugar, como os valores envolvidos na negociação são muito altos - US$ 35 milhões inicialmente -, o magistrado se considerou sem competência para decidir sobre a questão, que caberia ao Fórum Central.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.