José Patrício/Estadão
José Patrício/Estadão

Oposição do São Paulo quer a renúncia do presidente do clube

Conselheiros prometem preparar representação contra Aidar

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

08 de outubro de 2015 | 07h00

Membros da oposição do São Paulo querem protocolar até a próxima sexta-feira no Conselho Deliberativo uma representação contra o presidente do clube, Carlos Miguel Aidar. O objetivo do grupo é tentar tirar do cargo o dirigente e criar um ambiente político para a renúncia.

O movimento ganhou força na terça-feira, quando Aidar promoveu a saída de todos os membros da cúpula do São Paulo. O presidente solicitou aos seis vice-presidentes e a mais de 20 diretores que pedissem demissão coletivamente, para buscar a reestruturação completa e a pacificação do clube. O estopim para a movimentação foi o desentendimento entre Aidar e o vice-presidente de futebol, Ataíde Gil Guerreiro, que acabou demitido.

Segundo conselheiros ouvidos pelo Estado, a decisão do presidente gerou uma repercussão negativa no clube. Alguns grupos políticos prometem retirar o apoio à atual gestão. Aidar deve chamar parte dos diretores a voltarem aos antigos cargos, mas nem todos têm interesse em retornar.

A oposição quer convencer o maior número possível de membros a recusarem possíveis convites para atuarem na gestão e assim, tentar atrapalhar a reformulação planejada por Aidar.

A articulação teve início mês passado, com a entrega de uma moção de desconfiança assinada por 62 conselheiros. Os opositores querem ainda levar o caso da suposta briga entre Aidar e Ataíde para avaliação no Conselho de Ética, órgão que pode punir os dois com a expulsão do quadro de sócios do clube.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.