Oposição entra na Justiça contra CBF

A chapa de oposição para presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) entrou nesta segunda-feira com duas medidas cautelares na Justiça Comum para suspender o pleito, previsto para quarta-feira. O advogado Evandro Carvalho, que representa o candidato Carlos Alberto Oliveira, está confiante que as regras para a escolha do próximo presidente da CBF vão ser alteradas, a fim de atender as exigências da Lei Pelé.As ações vão ser apreciadas nesta terça-feira, no início da tarde. Uma delas foi solicitada em nome de Oliveira e a outra tem como signatária a Federação de Futebol de Pernambuco, da qual o candidato é presidente. De acordo com Carvalho, com a eventual suspensão da eleição, a oposição ingressaria na Justiça Comum com a ação principal, a que pediria a adequação do estatuto da CBF à Lei Pelé.Pelo documento da entidade, apenas as 27 federações estaduais de futebol e mais 24 clubes profissionais têm direito a voto. A Lei Pelé determina que as eleições para entidades desportivas, como a CBF, devem ter como votantes todos os clubes filiados. "A partir desta segunda etapa, vamos começar a campanha, correndo clubes, apresentando nossas propostas", disse Oliveira. Concorre pela situação o atual presidente da CBF, Ricardo Teixeira.Silêncio - Ele está no poder do futebol do País desde 1989 e quer conquistar seu quinto mandato consecutivo. Teixeira compareceu nesta segunda-feira ao evento que definiu o Rio como cidade postulante à sede da Olimpíada de 2012. Mas não quis falar da eleição na CBF.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.