Adriano Machado/AE
Adriano Machado/AE

Oposição pede impeachment do presidente do Fluminense

Roberto Horcades pode ser destituído do cargo; equipe segue em crise e na última posição do Brasileirão

Bruno Lousada, Agência Estado

10 de setembro de 2009 | 19h58

A oposição homologou nesta quinta-feira o pedido de impeachment do presidente do Fluminense, Roberto Horcades. Cerca de 25 sócios, entre eles o vice-presidente geral do clube, José de Souza, entregaram nas Laranjeiras um documento com 69 assinaturas de conselheiros, 19 a mais que o necessário, exigindo a abertura do processo.

Veja também:

especialMASCOTES - Baixe o papel de parede do seu time

especialVisite o canal especial do Brasileirão

Brasileirão 2009 - lista Tabela | tabela Classificação

especialDê seu palpite no Bolão Vip do Limão

A oposição critica, entre outras coisas, o aumento da dívida do clube, que passou de R$ 280 milhões para R$ 320 milhões. Agora, o presidente do Conselho Deliberativo, Carlos Henrique Mariz, terá até 30 dias para convocar uma reunião extraordinária. É preciso que 151 dos 300 conselheiros estejam presentes à reunião para que o assunto seja apreciado.

Se Horcades for destituído do cargo, o comando do Fluminense será assumido pelo vice geral, José de Souza, por 45 dias. Neste período, Souza deverá convocar novas eleições para um mandato tampão até o fim de 2010.

TENSÃO

Quando o clima é ruim, até o momento de descontração acaba em mal-estar. O auxiliar-técnico e irmão de Cuca, Dirceo Stival, mais conhecido como Cuquinha, deu uma entrada desleal num jornalista durante jogo de confraternização entre a comissão técnica e a imprensa, nesta quinta, em Mangaratiba. O repórter reclamou com veemência da falta violenta e Cuquinha, constrangido, pediu desculpa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.