Twitter / América-MG
Twitter / América-MG

Orçamento 'gordo' para 2021 pode derrubar a fama do América-MG de time 'iô-iô'

Boa campanha na Copa do Brasil ajuda a equipe a começar novo ano com mais recursos financeiros

Redação, Estadão Conteúdo

31 de dezembro de 2020 | 05h00

A participação na Copa do Brasil marcou mais um capítulo numa história recente de oscilação do América-MG e pode ajudá-lo a se tornar um clube mais regular. Depois de ficar sem divisão nacional em 2007 e cair no Campeonato Mineiro naquele mesmo ano, conquistou o Módulo II Mineiro em 2008 e a Série C do Brasileiro de 2009. Já em 2010, foi quarto colocado na Série B, mas a participação no Brasileirão durou apenas uma temporada. Ainda disputou a elite nacional em duas oportunidades, 2016 e 2018, com direito a título da Série B de 2017 entre elas. Em paralelo, voltou a ser campeão estadual em 2016, o que não acontecia desde 2001.

Este sobe e desce na elite lhe rendeu a fama de "time iô-iô" que a diretoria espera reverter agora com um orçamento que jamais teve para a temporada 2021. Para quem no início do ano projetava faturar apenas R$ 5 milhões com receita de premiação, os números cresceram muito. Por chegar às semifinais, o clube ficou com R$ 17 milhões.

O orçamento de 2020 do clube previa R$ 37 milhões de receita bruta e custo do futebol em R$ 22 milhões. Para a próxima temporada, prestes a carimbar o acesso, ele deve receber mais R$ 50 milhões de direitos de televisão. O clube, portanto, vai ter uma receita de R$ 67 milhões.

É claro que a situação poderia ser ainda melhor em termos financeiros, caso o América-MG chegasse à final da Copa do Brasil porque daria garantiria mais R$ 22 milhões, mas o time caiu com a derrota por 2 a 0 para o Palmeiras, na noite de quarta-feira, no Independência.

Antes de fazer planos sobre como gastar o dinheiro extra acumulado em 2020, um ano atípico por causa da pandemia da covid-19, o clube precisa confirmar seu acesso à elite. Mas a vaga está nas suas duas mãos. Com 60 pontos ocupa a vice-liderança, dois atrás da líder Chapecoense.

Neste momento, o time mineiro tem oito pontos na frente do Juventude (52) em terceiro e nove do quarto colocado, o Cuiabá com 51. E ainda o time dirigido por Lisca vai disputar mais sete jogos, o primeiro deles diante do Guarani, no próximo sábado, em Campinas, pela 32.ª rodada da Série B.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.