Maurício de Souza/Estadão
Maurício de Souza/Estadão

Ordem da nova diretoria do Santos é economizar

Empréstimo de Damião para o Cruzeiro vai representar uma economia de R$ 500 mil por mês ao clube

O Estado de S.Paulo

31 de dezembro de 2014 | 07h00

O empréstimo de Leandro Damião para o Cruzeiro indica novos tempos no Santos. Sem dinheiro e com salários atrasados, a prioridade do novo presidente, Modesto Roma Júnior, é cortar custos.

A transferência de Damião vai representar uma economia de R$ 500 mil por mês. Além de o Cruzeiro pagar 70% do salário do atacante – o equivalente a R$ 350 mil –, o clube devolveu à Raposa o volante Souza, que recebia R$ 150 mil e tinha mais seis meses de contrato com o Peixe.


Leandro Damião foi emprestado de graça para o Cruzeiro. Contratado do Internacional em dezembro do ano passado por R$ 42 milhões pela Doyen Sports,  o Santos paga ao fundo de investimentos juros de 10% ao ano e deu como garantia as cotas de TV de 2017.

Dentro da política de contenção de gastos, o Santos também se desfez do atacante Giva. A diretoria não renovou o contrato do jogador, que termina nesta quarta-feira. O clube teria de pagar R$ 2,3 milhões por 50% dos direitos econômicos, mas optou por liberá-lo de graça para o Coritiba.

Revelado pelo Vitória, a expectativa de que Giva iria se destacar no Santos não se confirmou. Como parte da transferência de Neymar para o Barcelona, o time espanhol chegou a ter a preferência para contratar o atacante, mas abriu mão do negócio.

Tudo o que sabemos sobre:
FutebolSantos-FCCruzeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.