Ordem na Venezuela é esquecer goleada

A derrota por goleada (5 a 2) diante do Brasil já foi assimilada pela Venezuela, afinal o adversário era a equipe campeã do mundo. Mas no jogo desta quinta-feira, contra o Equador, às 20 horas, em San Cristóbal, o técnico Richard Páez não admite nem pensar em derrota. "Não podemos nos dar o luxo de perder seis pontos contra um rival direto na luta pela vaga. Temos de vencer e não temos outra alternativa. Precisamos chegar aos 13 pontos e empatar com o Equador na classificação", afirmou o técnico venezuelano. No primeiro turno, em Quito, os equatorianos ganharam por 2 a 0.A novidade na escalação deve ser o atacante Rondón, que joga no São Paulo. Ele está cotado para entrar no lugar de Margiotta e formar dupla com Morán, que virou herói nacional por ter feito dois gols no jogo de sábado contra o Brasil. "Para continuarmos sonhando com a Copa do Mundo de 2006 temos vencer para consolidar o que estamos fazendo", afirmou Morán. O meia Urdaneta, que cumpriu suspensão sábado, jogará ao lado de Arango para ajudar na criação de jogadas.Do lado do Equador, o técnico colombiano Luis Fernando Suárez tem duas baixas: o atacante Delgado e o lateral-direito De la Cruz. O primeiro ainda se recupera de uma contusão no joelho e o defensor precisou retornar ao Aston Villa, que não o liberou para a disputa desta partida. Será substituído por Reasco.Além deles, Luis Fernando Suárez resolveu fazer algumas modificações pelo que viu no jogo diante do Chile - vitória por 2 a 0, domingo à noite. Assim, o atacante Ordoñéz perdeu a vaga para o veloz Franklin Salas e o meia Ambrossi desbancou Walter Ayoví. "Tomaremos as precauções necessárias para obter um bom resultado", disse Suárez.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.