Ordem no Santos é não se entregar

Santos e Cruzeiro ganharam neste domingo e, faltando apenas nove pontos a disputar, as chances dos santistas estão chegando ao fim. Afinal, o time precisa vencer as três partidas e contar com duas derrotas e um empate dos mineiros para conseguir o campeonato. Essa dificuldade, assumida pelos jogadores, não irá atrapalhar o plano do grupo, que já anunciou: continuará jogando para fazer sua parte.Com a vitória sobre o Fluminense, os santistas conseguiram, matematicamente, o segundo lugar no Brasileiro deste ano. O lateral-esquerdo Léo é um dos jogadores que fala na dificuldade de chegar ao título, mas entende que a meta é vencer todas as partidas. "O professor falou quando faltavam dez partidas que precisávamos vencer todas e já ganhamos sete", disse ele, acreditando que seja difícil tirar a diferença de seis pontos em três partidas.Quanto à virada, o lateral lamentou que sua equipe tivesse levado mais uma vez o gol. "Tivemos que sair atrás; levamos um soco, mas demos mais e ganhamos a briga", disse ele. Já Leão acha que sua equipe tem qualidade para virar as partidas, mas não acredita que isso seja uma virtude. "É um erro nosso", comentou sobre a décima partida que o Santos vence depois de estar perdendo.Uma vitória do Cruzeiro contra o Paysandu liquida as chances matemáticas do Santos e os santistas vão enfrentar na próxima rodada o Goiás, em Goiânia, com o desfalque de Robinho e Paulo Almeida, que levaram o terceiro cartão amarelo neste domingo e cumprirão suspensão automática.Reforço - Leão elogiou mais uma vez o desempenho de Fabiano, mas já avisou: quer um centroavante de ofício para a próxima temporada. E está tranqüilo: "o presidente Marcelo Teixeira já disse que vai meter a mão no bolso no ano que vem". Analisando o desempenho do time e os seis pontos que separam do líder Cruzeiro, Leão lamentou algumas derrotas na Vila Belmiro.Quanto aos confrontos com a equipe mineira, em que o Santos sofreu duas derrotas, Leão destacou que seu time teve boa performance na Vila Belmiro. "Em Minas, não deixaram ter performance, já foram expulsando nossos jogadores logo de cara". Mas não tirou o mérito do adversário que, segundo ele, passou por um sufoco depois das duas derrotas que sofreu. "Eles tiveram três vitórias por 1 a 0 e nós vínhamos goleando e souberam sair dessa situação".Narciso - Narciso voltou à condição de titular depois de quatro anos afastado para tratamento da leucemia e jogou com a tarja de capitão. Mas sabe que a oportunidade surgiu com a suspensão de André Luís. "Estou no grupo e isso é o importante para mim neste momento em que o Alex e o André Luís são os titulares com todos os méritos", comentou.Mas ele vai lutar mesmo para voltar a ser titular no ano que vem, quando poderá entrar no mesmo ritmo da equipe e buscar o seu espaço. Ele jogou até os 43 minutos do segundo tempo. "O Narciso saiu cansado, suado, mas satisfeito", comentou o técnico Leão que revelou: "em minhas preces sempre pedia que não pudesse deixar o Santos sem que o Narciso estivesse jogando futebol".Durante toda a partida, ele teve um bom comportamento na defesa e voltou a fazer como antigamente: conversava muito com os colegas, orientava o posicionamento e estava sempre presente. Era o Narciso guerreiro de volta aos campos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.