Organização do Campeonato Inglês age para coibir mau comportamento de jogadores

20 clubes que jogam na elite estão recebendo visitas para a exibição de vídeos de comportamentos agressivos que devem ser evitados

Estadão Conteúdo

20 de julho de 2016 | 11h22

Os organizadores do Campeonato Inglês, a Premier League, não querem ver mais jogadores cobrando rispidamente os árbitros, adversários brigando em campo e discussões entre técnicos. Por isso, decidiu agir diretamente antes do início da próxima temporada para que essas cenas não se repitam.

Para que seja reprimido o mau comportamento, que, na avaliação da liga, afeta a imagem do torneio, os 20 clubes que jogam na elite do futebol inglês estão recebendo visitas para a exibição de vídeos de comportamentos agressivos que devem ser evitados. Além disso, os árbitros estão sendo orientados a utilizarem mais os cartões.

"Nós queremos fazer uma mudança radical na forma como nossos participantes se comportam e como eles são vistos em todo o mundo", disse o presidente da Premier League, Richard Scudamore, depois de mostrar a compilação de incidentes de indisciplina, em Londres, nesta quarta-feira.

É, porém, um equilíbrio delicado para a liga, que não quer ver a competitividade intensa desaparecer, tanto que Scudamore admitiu ter sentido um "prazer com culpa" no jogo entre Chelsea e Tottenham, na temporada passada, que garantiu o título ao Leicester e acabou ficando marcado por vários desentendimentos entre jogadores e lances violentos. "Eu senti que não era certo, mas você não poderia ir embora daquele jogo pensando que não foi convincente", disse.

O Campeonato Inglês já é o mais rico torneio de futebol do mundo, tendo vendido os direitos de transmissão das próximas três temporadas por 8,3 milhões libras (aproximadamente R$ 35,5 bilhões). "As pessoas nos olham para dar o exemplo a todo o mundo", disse Scudamore.

A conduta dos árbitros também estará sob escrutínio, com orientações para que evitem qualquer contato físico, mas também para não serem excessivamente amigáveis, evitando questionamentos sobre a imparcialidade deles.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.