Reprodução/Facebook
Reprodução/Facebook

Organizada da Portuguesa cobra reação e pede a saída de dirigentes

Após na derrota na Série A2 do Campeonato Paulista, clube é alvo de protesto e corre risco de novo rebaixamento

Estadão Conteúdo

26 de fevereiro de 2018 | 17h58

A crise da Portuguesa parece não ter um fim. No último sábado, após a derrota para o São Bernardo por 1 a 0, no estádio Primeiro de Maio, em São Bernardo do Campo (SP), membros da torcida organizada Leões da Fabulosa cobraram o vice-presidente Manuel Reis e pediram a saída da diretoria liderada pelo presidente Alexandre Barros.

+ Após críticas à arbitragem, TJD vai convocar palmeirenses

+ Leia as últimas de esportes

Logo depois do confronto, alguns integrantes da torcida organizada foram até o "Bar da Sueca", que fica localizado dentro do Canindé, e cobraram o vice-presidente. Um torcedor mais exaltado ameaçou Manuel Reis em caso de rebaixamento do clube no Campeonato Paulista da Série A2 - a segunda divisão estadual.

"Nóis (sic) quer vocês fora. Sai por bem ou por mal. Se cair, você vai pagar. Tá entendendo? Se nóis (sic) perder domingo vai sobrar para você. Escreve aí o que estou te falando: nóis vai (sic) quebrar suas pernas", ameaçou o torcedor.

Neste domingo, a Portuguesa recebe o Taubaté, às 10 horas, no estádio do Canindé, em São Paulo, pela 10.ª rodada da Série A2. Sem ganhar há sete jogos - quatro empates e três derrotas -, está na 14.ª colocação e é o primeiro time fora da zona de rebaixamento com sete pontos, um a mais que o Água Santa e dois do lanterna Audax.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.