Jonne Roriz/Estadão
Jonne Roriz/Estadão

Organizadores da Copa de 2006 são indiciados por evasão fiscal

Segundo a imprensa alemã, Theo Zwanziger, Wolfgang Niersbach e Horst R. Schmidt foram indiciados por procuradores de Frankfurt numa investigação de longo prazo

Estadão Conteúdo

23 de maio de 2018 | 13h46

Suspeitos de corrupção, três responsáveis pela organização da Copa do Mundo de 2006 foram indiciados nesta quarta-feira pela Justiça alemã por evasão fiscal. O suposto crime poderia ter ligação com suspeitas de corrupção junto à Fifa, na época em que a Alemanha sediou aquele Mundial.

+ Confira a tabela da Copa do Mundo da Rússia 2018

Segundo a imprensa alemã, Theo Zwanziger, Wolfgang Niersbach e Horst R. Schmidt foram indiciados por procuradores de Frankfurt numa investigação de longo prazo. As denúncias foram publicadas pela agência de notícias alemã DPA e pelo jornal Bild.

O trio foi indiciado por terem apresentado com erros uma declaração de impostos da Federação Alemã de Futebol, ligada ao Comitê Organizador da Copa de 2006. As falhas levantaram mais suspeitas sobre os gastos da entidade, ligada a supostos atos de corrupção junto à Fifa.

Dez anos depois daquele Mundial, a própria Federação divulgou relatório sobre uma investigação que apontou uma série de pagamentos complexos, da ordem de 6,7 milhões de euros (cerca de R$ 29 milhões no câmbio atual), para a Fifa em abril de 2005, o que havia sido declarado de forma falsa como pagamento à entidade por conta dos gastos na cerimônia de abertura da Copa.

As acusações também estão sendo investigadas por procuradores da Suíça e pelo Comitê de Ética da Fifa. Um dos alvos da apuração é o ídolo alemão Franz Beckenbauer, que liderou a organização do Mundial de 2006. As autoridades suíças, ao lado da Justiça dos Estados Unidos, comandaram as investigações dos cartolas da Fifa, detidos em 2015, em outra apuração envolvendo corrupção na entidade máxima do futebol.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.