Organizadores russos já preveem aumento de segurança para Copa das Confederações

As ameaças terroristas na Europa já preocupam os organizadores da Copa do Mundo de 2018, na Rússia. Em reunião do Comitê Organizador Local, em Moscou, nesta terça-feira, dirigentes locais e da Fifa cogitaram ampliar ações de segurança para a disputa da Copa das Confederações, em 2017.

Estadão Conteúdo

24 de novembro de 2015 | 15h57

"Percebemos que, devido às circunstâncias atuais no mundo, devemos dar uma ênfase especial à segurança. Discutimos este tópico em detalhes e nossos colegas da Fifa nos pediram uma atenção especial às Fan Fests", afirmou Vitaly Mutko, ministro do Esporte russo e presidente do Comitê Local.

O dirigente garantiu que o recente corte de custos na organização do Mundial não vai afetar este incremento na segurança. "Considerando o orçamento do comitê, esta otimização dos recursos já foi processada. Para nós, é importante que tudo aconteça de acordo com nossas possibilidades financeiras."

Mutko comentou também sobre a preparação dos estádios para os dois eventos - Copa das Confederações e Mundial. E admitiu que a sede de Kaliningrado, uma das 11 da Copa do Mundo, está com seu projeto atrasado.

"Kaliningrado tem um atraso. O governo local apresentou um projeto, que não foi aprovado. Agora ele está sob avaliação de especialistas novamente. Esperamos por uma conclusão favorável ao projeto do estádio rapidamente", declarou o dirigente russo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.