Mauro Pimentel/AFP
Mauro Pimentel/AFP

'Orgulhoso e p... da vida', Abel lamenta eliminação do Flu na Copa Sul-Americana

Técnico reclama da arbitragem em empate contra o Flamengo que eliminou equipe da semifinal

Estadão Conteúdo

02 Novembro 2017 | 09h30

Um misto de sentimentos de orgulho, decepção e raiva tomaram conta do técnico Abel Braga após o empate por 3 a 3 com o Flamengo, ocorrido na noite desta quarta-feira, no Maracanã, onde o Fluminense acabou sendo eliminado da Copa Sul-Americana após estar vencendo o rival por 3 a 1 e levar dois gols no segundo tempo. O treinador exaltou a atuação dos seus jogadores, mas não escondeu a decepção por ter visto a equipe tricolor deixar escapar uma classificação às semifinais que esteve muito próxima de ser conquistada.

+ Flamengo elimina o Fluminense da Sul-Americana

"O meu lado tricolor está p... da vida. Mas o meu lado treinador, comandante, que lidera esse grupo, está orgulhoso. Porque ninguém sabe como trabalhamos, porque estamos sempre fechados no CT. Ninguém entra no vestiário para saber o ambiente que temos e ninguém pode duvidar do caráter dos meus jogadores. Adoro meus jogadores. Circulam muitas notícias de um jogador que tenha falado sobre salário. Salário não ganha jogo, e acima de tudo não ganha dignidade, nem caráter", afirmou Abel, em tom de desabafo, em entrevista coletiva no Maracanã.

O comandante, que reclamou da marcação de uma falta que considerou inexistente e acabou originando a cobrança no lance do terceiro gol do Flamengo, chegou a ir cobrar o árbitro argentino Patricio Lostau de forma enérgica logo após o apito final. Pouco depois, ainda no gramado, conseguiu se acalmar, mas não deixou de lembrar que a sua equipe ficou muito abalada pela eliminação.

"Torcedor pode ter certeza que esses jogadores têm respeito imenso por essa camisa e por esse clube. Eles são homens e nós gostaríamos de dar esse presente à torcida. Vocês (jornalistas) não podem imaginar como ficou o vestiário", ressaltou.

Por causa do peso maior dos gols marcados fora de casa como visitante para efeito de desempate, embora os dois duelos deste mata-mata tenha sido realizados no Maracanã, o Fluminense avançaria com uma vitória por 3 a 2 após ter sido derrotado por 1 a 0 pelo Flamengo na partida de ida das quartas de final. Até por isso, o treinador teve motivos de sobra para lamentar os dois gols de cabeça sofridos pelo time tricolor em lances de bola parada no segundo tempo e agora terá de a missão de reerguer o ânimo da equipe para a reta final desta temporada.

"Foi uma coisa meio anormal o que aconteceu. Você perde o primeiro jogo em casa e quando joga fora, com gol qualificado, você faz três gols. E leva dois gols estranhos. Tenho que saber o que fazer para o próximo jogo. Tenho que levantar esses caras para sábado (jogo diante do Botafogo, no Engenhão, pelo Brasileirão). E vou dizer a eles (jogadores) o que estou dizendo aqui: é uma decepção, mas também orgulho. Falei antes do jogo que o favoritismo era do Flamengo. E todo mundo dava que ia ser 'mole'. Mas eles (flamenguistas) sabiam que não seria fácil. Tiveram a felicidade que faltou pra gente. Faltou atenção, concentração, foco", enfatizou Abel.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.