Divulgação/ Orlando Pride
Divulgação/ Orlando Pride

Orlando Pride anuncia saída da Copa NWSL Challenge 2020 após casos de covid-19 no time

Exame de seis jogadoras e de quatro funcionários deram positivo para o novo coronavírus

Gillian R. Brassil, The New York Times

23 de junho de 2020 | 19h06

O Orlando Pride informou na segunda-feira que não participará da Copa NWSL Challenge 2020 - o torneio que a liga planejou para ocupar o espaço da temporada de 2020 - devido a casos de covid-19 entre jogadoras e funcionários do clube.

"Orientações e processos foram estabelecidos, incluindo os importantes protocolos e cronologias para rastreamento de contatos, o que torna logisticamente impossível que o clube participe da Challenge Cup em Utah", disse Daryl Osbahr, médico do time, em comunicado da equipe.

O exame de seis jogadoras do Pride e de quatro funcionários deram positivo para o novo coronavírus, informou a Liga Nacional de Futebol Feminino (NWSL, na sigla em inglês) em comunicado. Embora tanto as jogadoras como os funcionários estivessem assintomáticos no momento dos testes, o clube disse que cada um deles recebeu assistência médica e que ficariam isolados por 14 dias.

Pessoas que estiveram em contato próximo com aqueles que estão infectados no centro de treinamento da equipe - que está fechado e sendo esterilizado - também estão sendo monitoradas quanto a sintomas. O clube disse que as pessoas cujos testes deram positivo para o novo coronavírus não tiveram contato com ninguém do Orlando City, time masculino da Major League Soccer, ou da Orlando City B, equipe masculina da United Soccer League, que têm o mesmo proprietário e compartilham o centro de treinamento com o Pride.

O Pride se recusou a dar qualquer declaração além de seu comunicado. O escritório do responsável pela liga não respondeu a um pedido de entrevista, mas seu comunicado dizia que as oito equipes restantes ainda estavam planejando participar e um calendário seria anunciado em breve.

A Challenge Cup foi organizada para contar com 25 partidas, mas sem público, a partir de sábado, no Zions Bank Stadium, em Herriman, Utah, de acordo com o plano da NWSL desenvolvido após a pandemia do novo coronavírus.

O anúncio ocorre em meio a um aumento nos casos de covid-19 na Flórida, onde NBA, WNBA e MLS devem organizar jogos em ambientes confinados. Os times de beisebol Philadelphia Phillies e o Toronto Blue Jays, ambos da MLB, fecharam seus centros de treinamento na Flórida depois que jogadores de ambas as equipes mostraram sinais do vírus, assim como o o time de hóquei Tampa Bay Lightning, da NHL.

O Pride, que ingressou na NWSL em 2016, tem várias jogadoras da seleção americana em sua equipe, incluindo Alex Morgan e Ali Krieger, além da estrela brasileira Marta.

"Embora todos estivéssemos entusiasmados em ver o Pride 2020 em campo neste fim de semana, nossa prioridade agora é garantir que nossas jogadoras e funcionários se recuperem com segurança e dar todo suporte onde e como for possível", disse a vice-presidente executiva do Pride, Amanda Duffy, em comunicado. / TRADUÇÃO DE ROMINA CÁCIA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.