Os 12 primeiros passos para a glória

Com o Brasileirão cortado em duas partes, ir bem no início é obrigatório para quem pensa em título

Mauro Cezar Pereira, O Estado de S.Paulo

16 Abril 2018 | 04h00

O Brasileirão finalmente começou. No 104.º dia de 2018! E já tem data para ser interrompido, 13 de junho, véspera da abertura da Copa, após cada equipe disputar 12 partidas. Uma parada de 35 dias que tornará a competição atípica. Chegar lá bem colocado é a meta a ser atingida por quem tem grandes ambições.

No ano passado, quando o campeonato chegou à 12.ª rodada, o Corinthians já tinha nove pontos sobre o vice-líder, o Flamengo. Em 2016, o Palmeiras acumulava três de frente sobre os corintianos, em segundo, como o Cruzeiro em 2014 somava seis mais do que o Fluminense e em 2013 dividia a ponta com o Botafogo.

Nos últimos cinco anos, levantou a taça quem liderava após uma dúzia de jogos, exceto o Corinthians de 2015 — era quarto na 12.ª rodada, a três pontos do líder, Atlético-MG. Com o certame cortado em duas partes, ir bem no trecho inicial é obrigatório para quem pensa em título. A arrancada é fundamental.

O Corinthians, que começou no ano passado empatando contra a Chapecoense, estreou novamente em Itaquera e venceu o Fluminense após alguns sustos no segundo tempo. Em 2017, o tricolor carioca bateu na estreia o Santos, que sábado começou com boa vitória sobre o Ceará, recém-promovido da Série B.

Nesta segunda-feira à noite o São Paulo recebe o Paraná, outro que obteve acesso. Volta à primeira divisão após uma década! Já o Palmeiras visita o Botafogo. Os tricolores parecem, enfim, na direção de um time ajustado, e os alviverdes não têm ido bem diante de rivais mais pesados. Foram só quatro gols em cinco partidas.

O Corinthians, que já levantou uma taça em 2018, tem evidentes carências no elenco. Repetir o feito do ano passado parece missão impossível. Ainda mais com o Grêmio forte e, de cara, vencendo o Cruzeiro em Minas. Já a incógnita Flamengo, prejudicado por um erro de arbitragem, buscou um só ponto em visita ao Vitória. Em 2017 o Corinthians foi o 12.º no segundo turno, mas a alta pontuação na primeira metade do certame lhe deu tamanha vantagem que a má campanha na parte final bastou para ficar com o troféu. Nesse calendário ainda confuso, é vital dar ótimos primeiros passos nas 12 pelejas até o mundo parar pela Copa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.